Postagens

Mostrando postagens de Junho 26, 2010

O Ser Quase Sábio

Imagem
Dos três métodos para ter sabedoria Como Confúcio dizia O primeiro é por reflexão É o mais nobre Esse para mim não existia O segundo é por imitação É bem mais fácil Mas digo não O terceiro é o meu jeito É também o meu fardo É por experiência Com certeza o mais amargo
Sabedoria não nasce em árvore E eu com meus poemas Papéis, papiros e rabiscos Bloquinhos, lápis, problemas Tudo isso esquecido Na imaginação de uma cena
Um fogão a lenha queimava Era uma bela manhã O café já pronto na mesa O trem passava apressado Cheiro de chá de hortelã
Um dia começa bem cedo A pressa de uma nova jornada A cada renovar de uma vida Portas se abrem, saídas Espantam a depressão Curam recentes feridas Libertam almas caídas Estende a palma da mão
Nela existe a resposta O amor de um coração É o sim e o não da questão.
André Anlub

Minha Escrita II

Imagem
De repouso entre um suspiro e outro
Acamado entre o amar e ser amadoCoração bate forte sendo fracoPensamentos voam soltos, indo altoMinha escrita está submersa em azul anilCom sentimentos verdadeiros e inventadosVagueia entre o real e o senilPersegue o concreto e o abstratoLíngua solta e compridaProfere idiomas mal faladosE alados levam poemas declamadosAos ouvidos que se deixam ser ungidosUma dor quase sempre vira escritaEscrivaninhas, com papiros, suas penas, velhas tintasO que não se limita, muitas vezes quer ser lidoE o que é lido no respeito não se imita.Segue assim até nascer do branco póO rebento que do chão fica de péQue se engasga com as empáfias, o alentoPor um momento ri de todos ao redor.André Anlub



Imagem
O oásis de cada diaDeseje-me sorte em voz altaÉ como carregar o embuste no coloCegue-me com areia nos olhosEnvenene-me coma saliva mais fartaConsigo a solidão de um espinhoTenho a companhia de uma florSou seu brinquedo de meninoEsquecido em qualquer gavetaCom uma etiqueta, escrito “dor”.Lua e estrela, combinação astral.Brilho e beleza, só falta você.No espelho d’água, trilogia perfeitaTudo absolutamente normalÉ a delicadeza que constrói você, seu quebra cabeçaÉ a pureza que circula por dentroNa certeza de estar certa na seta que acerta o alvoTudo no seu devido momentoAgora vou indo com seus votos e coragemEmbriagado de otimismo e muita energiaEm uma vida que passa a minha frente como uma miragemBuscando o oásis nosso de cada diaAndré Anlub