Postagens

Mostrando postagens de Outubro 25, 2010
Inquilino
Pela sutileza do olhar de Rosa, já sabia o que queria, não devidamente falado, não claramente pensado, mas sempre demonstrava com o olhar o que antes pensara. Um domingo como qualquer outro, frio lá fora, as árvores cobertas com uma fina camada de orvalho balançavam com o vento forte e gelado que vinha do sul. Aqui dentro, nessa casa velha de madeira e forno a lenha, a temperatura era mais amena, enquanto houvesse lenha haveria calor, os cupins comendo as paredes, uma velha escrivaninha no canto da sala brilhava porque recebera um presente meu, uma lata de verniz que achei no porão; fez a mesma que outrora estava sem vida, ficar linda, com jeito pueril, uma anciã tornando-se novamente criança.
Entardeceu, nuvens negras no céu, eu e Rosa no ostracismo nessa casa, sem recursos, com inúmeras goteiras, o que poderia mais acontecer, nos perguntávamos. Lá de fora ouvimos um som estranho um pouco abafado e sem direção, o som foi aumentando, ficando bem mais perto e mais g…