Postagens

Mostrando postagens de Abril 14, 2012

14 de Abril - Dia Internacional do Café

Imagem
Café é coisa brasileira. Determinou grandes momentos da nossa história, ditou políticas e comportamentos, é da nossa cultura. Nós não temos o hábito do chá das cinco, como os ingleses, mas é só chegar uma visita em casa, que corremos para fazer um café fresquinho, "passado na hora".

Durante muito tempo o nosso simpático cafezinho ficou sem prestígio. Sua imagem foi associada a idéias negativas, como estresse e distúrbios do sono.

Alguns estudos, aliados a programas de controle de qualidade do café consumido no Brasil, conseguiram mudar este quadro. O produto reconquistou o respeito da população. Revigorado, com novo marketing, ganhou novas versões para atingir consumidores mais exigentes: agora, você pode escolher se seu café é descafeinado, ou orgânico, ou liofilizado; granulado, solúvel, torrado e moído, torrado em grão; café

História do café

A história do café é marcada por interessantes acasos e coincidências.

Sua origem é estimada em cerca de mil anos e está asso…
Imagem
Do amor natural

Mudando o foco para a beleza que há no natural
Nas ínfimas coisas que muitas vezes passam despercebidas
No costume que se assume no mecânico do automático
Fazendo-nos esquecer das coisas mais simples e não menos importantes.

Da grandiosidade de uma atitude humana espontânea
Do querer o bem e enfrentar o mal no dia a dia
Desligar o motor do carro e ouvir uma ave cantar
E as mãos abertas para deixar cair ao chão às pedras que iria atirar.

Não é deixar de solucionar teoremas
Nem tampouco esquecer os problemas
Somente dar um tempo ao tempo de paz.

Se deixarmos o nosso viver, vir e ver o enternecido
Quem sabe consigamos acordar o amor entorpecido
Pois o ódio intransigente está inenarrável nos dias atuais.

André Anlub

No lume focado

Imagem
Suborno-me nos sentimentos
Não me identifico mais
Fico orgulhoso até quando não posso
Sinto o dissabor sem um pingo de remorso.

Quero sempre mais o poder de ter o poder de ter sempre mais
Mesmo que isso me faça algumas vezes andar para trás
É uma sensação de ter todos os ossos quebrando ao mesmo tempo
Desmontando-me, desmoronando, com um sorriso no rosto.

Rezo à toa em palavras sem nexo
Nunca foi empecilho ser dislexo
Rejeito as emoções, pois meu coração é só flerte.

Furo sempre o sinal vermelho da vida
Pois não vejo graça no verde...
Sendo o amarelo um elo inexistente.

Mesmo com um absurdo teor
Cartas que escrevo não possuem remetente
Incondicionais do meu eu vomitado
Que sem fim pousam no lume focado.

André Anlub


Imagem: web