Postagens

Mostrando postagens de Maio 21, 2012
Imagem
Do Ego

Ele segue altivo, vitorioso e de bela aparência
Segue muito bom naquilo que gosta e faz
No seu andar desfila, brilha e transmite paz.

Mas tudo isso não deixa de ser o que ele pensa.

De superego inflado permuta por mais uma dose de ar
Procura estar onde abonam os “tapinhas nas costas”
Ignora algumas perguntas, mas sabe as respostas.

Mas nisso tudo ainda pode estar muito enganado.

Elogios e afagos, sem dietas, vão lhe alimentar
No pódio ele quer sempre os três primeiros lugares
E nos altares... Ainda almeja ficar mais elevado.

Ego não tem encanto nem quando é verdadeiro
Resta a agudeza de se achar beleza e um ser superior
Tudo se mescla com as empáfias e indelicadezas
E mostra um mendigo buscando ser um pouco amado.

André Anlub

“Nunca se viu egoísmo que não se queixe de ingratidão.”
- Emmanuel -
Imagem
Dos antolhos

Quero um apropriado escudo Celta
Pois há lanças voando sem rumo
Almejando ébrias mentes sem prumo
Mas por acidente a mesma me acerta.

Quero o melhor dos virgens azeites
Pois nas saladas só tem abobrinhas
Na disparidade de várias cozinhas
Todos adotam a mesma receita.

Quero ver e ler o que outros registram
Sem antolhos nem cínica mordaça
Sem caroço impelido na garganta
Faz o engasgo que mata na empáfia.

Mas não só quero como também ofereço
Meus singelos poemas com terno adereço
E com pachorra e olhos modestos
Vê-se admirável o que era obsoleto.

André Anlub
Imagem
Pérola na Ostra

Palavras soltas, indo com o vento
São como as idéias que habitam a escuridão
Rebentos que eu mesmo invento
Pura e unicamente classificados de suposição.

O julgamento final de minhas ações
Tal qual as palavras que deixei de escrever
São unidas com pensamentos em vão
Que desuniram o mais sincero bem querer.

Perdido em vírgulas, parágrafos e pontos
Jogados em pergaminhos com teclas
Que nascem minhas poesias e contos
Sem luzes... Escuridão que renega.

Sublinhado pela tinta de corpo e forma
Letras tortas, curvas e retas
Seguindo manuais anexados as normas
Sem destino, puramente, sem regras.

Fecho a ostra - guardo as idéias
Desligo-a de uma tal de tomada
Milhões de criatividades são centopéias
Que andam e moram dentro do nada.

André Anlub