Postagens

Mostrando postagens de Maio 28, 2012
Imagem
Falando de um tal cara

Andando pela praça da sua rua, encontra com uma antiga amiga
Depois de muito conversar ela o deixou pensativo com a vida...

Ele tem uma fé particular e ela revela a todos sua religião
Ele gosta de rock e jazz, ela curte Chico Buarque
Não tem a mesma marca de carro, ela é fumante e ele não
Ela curte música pop, um bom vinho ou fino conhaque


Ele anda de camisa lisa e tênis e ela está sempre de echarpe.

Mas tinham algumas coisas em comum...

Também optou por não ter filhos, e quando ele era mais novo "fez" dois abortos distintos...
Com as devidas escolhas em conjunto!
Nem por isso acha que vai para o inferno ou céu... Nem tampouco acredita nisso!

Quanto à fé ele entende que pessoas a busquem, às vezes por pressão familiar, outra vezes por alguma doença e também por si só!
Mas ele não procurava sua fé, apenas sentia!

Como é um ótimo apreciador de artes, fica horas em museus...
Também apreciador de músicas, fica com seu fone de ouvido sentindo cada instrumento, analisando…
Imagem
"Na Estrada" - Do diretor Walter Salles e baseado no romance de mesmo nome do escritor Jack Kerouac... Vale a pena conferir rapazeada!

Imagem
Não me enfastio quando falo de amor

Dizem que de nada vale uma luta se não for por amor
Mesmo que não seja de um modo direto ou/e visível
Por sobre barreiras, andando por cima das águas
Atravessando penhascos e aguentando a dor.

Elogiando e rasgando seda para o verdadeiro amor...

Intrínseco e salutar, precioso e impagável
O verdadeiro é quase sempre eterno
Encontrado em variadas esferas
Quando dividido é insuperável.

Andando na fina camada de gelo do lago congelado...

É frágil, isso é incontestável
Cristal fino, bebida rara em fina taça
É mágico, enfático, abracadabra
Cada respirar, cada passo.

Lutando contra o tempo da saudade e da distância...

Se um segundo é piscar dos olhos
Sozinho é uma eternidade
Aperta o peito e cai uma lágrima
Amor é aquém e além da realidade.

André Anlub
Imagem
Da Arte

Primeiro marquei meu horizonte
Em um traço negro em declínio
Deixo a inspiração fazer domínio
Depois me embriago na fonte.

Pintores são fantoches e fetiches
Sobem em nuvens ou caem em piches
Respiram a mercê de sua cria
São puros profetas à revelia.

Tudo podem e nada é temível
Nem mesmo perderem o dom
Sabem o quão infinito é o tom.

Seus corações de loucos palpitam
E no cerne que neles habitam...
Saem às cores do anseio invisível.

André Anlub