Postagens

Mostrando postagens de Junho 20, 2012
Imagem
Decapitação à francesa

Por entre muros altos de pedras de arenito
Esquivando-se das cruéis flechas em fogo
Vejo-me invadindo a comarca inimiga
Na insensatez de um lúgubre rito.

Somente digo quem sou...
Abrindo mão de descer por um ralo depravado
Minha pulcra essência estará à mercê
Sei que só assim farei parte do seu legado.


Tenho a alma transbordando nesse doce momento
Um palpável amor que vai ao alto tormento
A devoção é promessa que nunca se viu abalável
Amparo é a certeza de jamais ser recusável.

Derramarei meu deleite ao máximo desatino
Seguirei suas pegadas nas areias quentes do destino
Em meus sonhos um querubim me confidencia...
Por trás dessa máscara negra há um mortal amável.

Por fim verá uma decapitação à francesa
Minha cabeça rolará por sobre o gramado
Na minha boca um sorriso estampado
Piscarei os olhos para a nobre condessa.

André Anlub

Imagem
Boneco de engonço

Vivia teleguiado pela mídia e suas filiais
Encontrava resposta para tudo nos seus tele jornais
Indignava-se e sozinho resmungava sobre o bem e o mal
Sua opinião mudava conforme ele mudava o canal.

O ibope era o único divisor de águas que havia
As palavras saiam ao vento diante da televisão
Não sabia que era um atrapalhado boneco de engonço...
Nem que estava em cárcere com a corda no pescoço.

O pior cego às vezes é o que quer ver
Regando as mazelas da vida e as vendo crescer
Sem saber que muitas informações são manipuladas
E outros mil escândalos nunca darão em nada.

Temos que esmiuçar sempre o conhecimento
Lendo e relendo o que sabemos ter idoneidade
Saindo dos muros de letras que nos prendem em nossas cidades
Indo voar e se banhar em outras chuvas e ventos.

André Anlub

Imagem
Só por ter você

É grande, exposto e de sensação deleitosa
Amor saudável, azul celeste e rosa silvestre
Eterno voo ao aconchegante desconhecido...
E tem como objetivo ser sempre bem-vindo nos acasos.

Seu suor é elixir da minha magia branca
No branco de seus olhos me aprofundo tanto que saio de mim
Algo assim muito ímpar, sucinta e particular
O sobrenatural sobrevivente, prazeroso e peculiar.

Entro no seu "eu" mais íntimo...
Descubro sua carícia preferida...
Suas orações proferidas...
Seus gestos, seus sexos...
Seu ritmo.

Coloco meu rosto no travesseiro
Um olhar surge por todos os lados
Os sorrisos que já se fazem impregnados
No colosso de todo amor verdadeiro.

André Anlub