Postagens

Mostrando postagens de Março 24, 2013

Vai, Vai, Vai... Viver (Martha Medeiros)

Há inúmeras razões para se assistir ao documentário sobre Vinicius de Moraes: para recordar suas músicas, seus poemas, suas histórias e, principalmente, lembrar de uma época menos tensa, em que ainda havia espaço para a ingenuidade, a ternura e a poesia.

Entre os vários depoimentos do filme, há um de Chico Buarque dizendo que não imagina como Vinicius se viraria hoje, nesta sociedade marcada pela ostentação e arrogância. E nós?, pergunto eu. Nós que nos emocionamos com o documentário justamente por nos identificarmos com aquela alma leve, com a valorização das alegrias e tristezas cotidianas, como conseguimos sobreviver neste mundo estúpido, neste ninho de cobras, nesta violência invasiva? Assistir ao documentário é uma maneira de a gente localizar a si mesmo, trazer à tona nossa versão menos cínica, mais pura, e resgatar as coisas que prezamos de verdade, que são diferentes das coisas que a tevê nos empurra aos berros: compre! pague! queira! tenha! Vinicius fazia outro tipo de propa…
Imagem
Barba branca  (para alguns vou falar Grego)
Minha barba está ficando branca aumentam as rugas de concupiscência estranho é não dar importância curioso seria a ausência.
Relembrando épocas advindas imerso em um déjà vu caindo de uma cama beliche ou dentro um moletom azul.
Em praias todo o pôr do sol no rol das maiores alegrias com a imaginação, mar e areia e a amizade que faz da vida magia.
Lembro-me de tempos atrás das pistas de corrida de tampinhas eram ladeiras íngremes túneis e voos surreais.
Peteleco era o motor dos “carrinhos” às vezes discos voadores ao lado um castelo de enfeite com portas de palitos de sorvete.
Nas areias quentes no mar, absorto entre um mergulho e outro combinava-se o jogo.
Fugindo um pouco dos versos...
Indo aos gols feitos de chinelos futebol corriqueiro jogando um bobinho duplas de praia ou altinho.
Tinham os cachorros sedentos alguns à milanesa visando a dançante bolinha do frescobol ofegante na agradável maresia.
Passavam os biscoitos Globo com mate Leã…