La Femme

Dizem que nasceu pra fazer volume,
Como um vaga-lume com a luz queimada.
Jogada a esmo no mundo, cachorra sem dono.
Perdida na escuridão...

Bela mulher, travessia de prazer
Amor de repente, ardente, caliente.

Linda fêmea com a pele dourada
Endiabrada, imponente
Onipresente...
Não fica cansada.

Garota fatal com jeito imoral
Desapegada, imensamente humorada...
Sexo animal.

Vadia safada com emprego na Lapa,
Exercitava seus vícios vomitando sacrifícios;
Puros ossos do ofício.

Querendo ser imaculada, mas para muitos uma “nada”
No seu mundo de hospício.

É o que quer, bela mulher de alma e carnal - garota fatal
Largada a berlinda, fêmea linda...
Na horizontal.

André Anlub
(14/11/10)




Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI