Lina Bo Bardi

Hoje é o centenário de Lina Bo Bardi.

Arquiteta, designer, cenógrafa e editora, Achillina Bo Bardi foi responsável pelo projeto arquitetônico que transformou o antigo prédio de uma fábrica de tambores no centro de convivência Sesc Pompeia, e projetou, entre outras obras, as instalações do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP).


São Paulo – SP
(André Anlub - 24/1/13)

De tudo que leio
Que vejo e escuto
Nada e nem tudo
Pode descrever-te.

Sampa é só flerte
É paixão e poesia
Cultura, boemia
Endereço e adereço.

Sampa de apreço
Será que te mereço?

Pois me perco em teu ritmo
Teus ecos, teus signos
Nas noites em delírios.

Sampa da arte
Moderna e eterna
Museus e histórias.

Cidade mutante
Bravos bandeirantes
Lar dos retirantes
Alçada na glória.

Das gírias 
(releitura de uma música/rabisco de minha autoria)

Qualé, uai, Já é...
Vou sair com a nega cumpadi... Axé, vixe, mané

Sempre fui na vida um cabra da peste
Sou carioca meu... Lá do Nordeste.
Já morei em São Paulo, Paraná e Salvador
E também já rezei aos pés do Redentor.

Sempre desenrolo, meu brother, com a guria
Eu sou assim, orra meu, na night ou de dia
Jogo um caô... Pra ver se cola
Se for preciso busco na porta da escola.

Lavei a égua meu irmão... Vou descolar a gata
Pode ser branca, japinha, loira ou mulata
Uma coroa enxuta ou cabritinha nova
O que importa é quem meu coração aprova.

Qualé, uai, Já é...
Vou sair com a nega cumpadi... Axé, vixe, mané

André Anlub (2003/2012)

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI