Postagens

Mostrando postagens de Setembro 9, 2014

Mais uma noite triste de Setembro

Imagem
Último poema do amigo poeta Nathan de Castro (dia 19 de agosto de 2014 - imagem escolhida pelo autor)


Motivos
                              © Nathan de Castro
.
.
.
Nas noites de insônia, caminho pelos versos em busca
de um sonho.
O amor está ali, bem perto do próximo poema.
Parece real, mas… Carrega o silêncio das palavras,
a música da solidão e uma metáfora perdida
nas entrelinhas do tempo.
Tem uma Estrela que escreve os meus caminhos, e canto
de paixão quando chegam as luzes da madrugada.
Quando encontro o verso iluminado pela música
desse astro, penso em escrever silêncios, vazios e luares.
Caminho pelas linhas, em busca dos teus olhos.
O amor está ali, bem perto do último sorriso.
Parece real, mas…
Tem essa coisa de tempo! Muito tempo.
Anos e anos perdidos nos caminhos de invernadas.
Qual nada! Nada se perde quando plantamos e assistimos
o brotar da poesia!
Preciso aplaudir o verso e entregar o meu sorriso à solidão.
Palavras!
Já nem sei se é fogo, paixão ou somente essa coisa
que chamamos de Saudade!
Mas,…

fábio kerouac grava o poeta andré anlub

Mais um dia triste de Setembro

Imagem
Falecimento: "Amigos poetas, nosso querido poeta Nathan de Castro faleceu agora a noite em Uberlândia. O corpo virá para nossa cidade - Patrocínio - MG. Aqui, o corpo de nosso querido poeta será velado e enterrado no dia de amanhã dez de setembro!"
Marta Peres

O Cara

© Nathan de Castro

Eu sou o cara e a cara que apresento
tem os sinais e as marcas da loucura
de bardo atrapalhado em meio à fúria
das tempestades mórbidas do tempo.

Eu sou o cara e o cara que alimento
tem fome de poesia e uma fratura, 
causada pelas pedras da luxúria, 
no peito acostumado ao passatempo.

Eu sou o cara, o morto-vivo, o ausente, 
o que perdeu o amor e, numa prece, 
quis ter de volta os olhos do poeta.

Voltar a ser criança?... Felizmente 
o tempo não tem volta e, se tivesse, 
traria as mesmas rugas na careta.