Postagens

Mostrando postagens de Novembro 1, 2014

Vozes na Praça...

Imagem
Coquetel de lançamentos de livros solos das associadas Rosângela Souza Goldoni RosangelaSgoldoni, FIAPOS DE LUCIDEZ, Comendadora Sol Figueiredo, UM RAIAR DE SOL EM AMOR, 2ª 3 edição e Vany Campos, RELICÁRIO.

Lançamentos do infantojuvenil POR UM MUNDO MELHOR e Contos, Crônicas & Poesia, do grupo de associados e seguidores de Poemas à Flor da Pele, coordenados por Soninha Porto.
Serão relançadas as Antologias Poemas à Flor da Pele, volume 8 e III Poetas Fazendo Arte em Búzios.

Na oportunidade terão várias apresentações de música, dança e poesia.
Patricia Mihr, bailarina de Porto Alegre, confirmada.
VIVAPALAVRA, grupo de Porto Alegre, coordenador por Zaira Cantarelli, confirmado.
Maurício Oliveira, fotógrafo e músico de Porto Alegre, confirmado.
Marco Araujo, músico de Porto Alegre, confirmado. 
João Antônio Pereira, poeta e músico de Porto Alegre, confirmado.
Marcos Bahrone e Alana Haase, performances confirmado. 

Não deixem de comparecer, será imperdível!
O evento tem a cobertura do Jornal Se…

Acalmando a alma IV

Caixa preta

Publicação by Hart voor Dieren.

Caixa preta (André Anlub - 9/9/13)
Saboreio cada gesto como se fosse o último, Tento adivinhar o manifesto do seu pensamento Como se fosse o primeiro, como se fosse justo. Nada é em vão.
A sua corrente quente me ajuda a nadar, Fico mais confortável e feliz. Aquela força resistente me diz: Atravesse o oceano e me beija.
Pelejas amigas, cantigas antigas, Caem bem, são bem recebidas. Paixões passadas, cicatrizes fechadas, Caem bem, na caixa preta trancada.
Pela manhã molho o rosto e constato minha sorte, Perdi há tempos a necessidade de encenar. A barba branca, o cabelo ralo E da vivência o aguçado faro - o voo mais acertado.
Limpo a poeira da caixa, Às vezes passo um verniz, Mas não abro.
O nosso presente já é tudo que me chega, Me cega e me cerca, fazendo coerente o amor. Já não acolho vozes externas, demagogias, Orgias de picuinhas, não mais... Enfim você chegou! Está ardendo àquela prometida fogueira, Com panos - papéis inúteis, Quilos de baboseiras... E a velha caixa queimou.