Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 5, 2014

Para ponderação...

Cena foi filmada por militares, na Pampulha, em BH.
O homem está a bordo do engradado acoplado ao que parece ser um motor de mini-buggy
e controla a direção com um pequeno volante. Os pés ficam apoiados em um suporte e os freios são as solas do chinelo.
Os militares se aproximam do "veículo" e se divertem com a situação inusitada. "Tenta parear com ele, cuidado com o rapaz". "Tem cerveja aí?". O "motorista" diz que chega a 60 km/h e buzina. Os policiais caem na risada ao ver o que funciona como volante.
O engradado, entretanto, não consegue transportar cerveja, já que o funcionamento do motor esquentaria a bebida. A cena foi gravada pelos policiais.

Publicação by Grupo DeFato.

Lina Bo Bardi

Imagem
Hoje é o centenário de Lina Bo Bardi.

Arquiteta, designer, cenógrafa e editora, Achillina Bo Bardi foi responsável pelo projeto arquitetônico que transformou o antigo prédio de uma fábrica de tambores no centro de convivência Sesc Pompeia, e projetou, entre outras obras, as instalações do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP).


São Paulo – SP (André Anlub - 24/1/13)
De tudo que leio Que vejo e escuto Nada e nem tudo Pode descrever-te.
Sampa é só flerte É paixão e poesia Cultura, boemia Endereço e adereço.
Sampa de apreço Será que te mereço?
Pois me perco em teu ritmo Teus ecos, teus signos Nas noites em delírios.
Sampa da arte Moderna e eterna Museus e histórias.
Cidade mutante Bravos bandeirantes Lar dos retirantes Alçada na glória.
Das gírias  (releitura de uma música/rabisco de minha autoria)
Qualé, uai, Já é... Vou sair com a nega cumpadi... Axé, vixe, mané
Sempre fui na vida um cabra da peste Sou carioca meu... Lá do Nordeste. Já morei em São Paulo, Paraná e Salvador E também já rezei aos pé…

Dueto da tarde [Parte II]

E lá vem a nostalgia, dessa vez de dia e vestida de vermelho.
O que carrega da noite (des)esperada tenta sufocar.

Eis o brio a brilhar, desconcertante, e a meiga despedida,
Ainda tímida como sempre foi, ainda temerosa como sempre é,
Busca no nascente sol o girassol que a induz outra vez à vida.

Se o que ela sabe serve ainda um pouco,
Se com sua verve a água derrama do poço
O que restou de lágrimas e o vermelho não esconde,
As alamedas do ontem reinventam a saúde, a juventude, o dia de hoje.

André Anlub e Rogério Camargo
(3/12/14)

Sobre Sexualidade e Corrupção

Imagem
Por Bianca Velloso e Valdir Portásio

Dia desses um colega compartilhou no facebook a seguinte frase:

"Passeata do Orgulho Gay: 1 milhão de pessoas
Passeata contra a corrupção: 2.500 pessoas
Tem mais gente lutando pelo direito de dar o rabo que pelo direito de não ser enrabado"

Apesar da internet ser um meio de comunicação democrático, certas opiniões causam indignação e revolta. Como é possível alguém compartilhar tamanha demonstração de falta de respeito e ignorância?.

A linguagem da frase é infame é horrível, completamente desrespeitosa e repleta de preconceito. Preconceito e desrespeito com os “amigos” do Facebook que foram obrigados a receber e ler tamanha grosseria.

Certamente o autor não parou para pensar no absurdo que escrevia. Ou possivelmente pensou. E concorda e acha que sexualidade é indicativo de caráter e honestidade. Numa pesquisa rápida na internet é possível saber um pouco da história da parada do orgulho gay: o movimento começou nos Estados Unidos, em 1969, como p…