Seu chão




Seu chão
(André Anlub - 1/1/13)

Pele morena e queimada de sol
Salgada de mar – dourada de paixão.
Marquinhas brancas em lugares capciosos
Apetecem meu doce paladar.
Cabelo em ondas e o sorriso largo
Perder-me, me encontrar e desfrutar...
Desvendar é vago.
Vou com seus passos e na sua lida,
Vida de beijos e calenturas.
No seu mundo de flores e sonhos
Vejo inenarráveis loucuras.
(p) reparo seu banho,
Aqueço seu corpo,
(a) prendo seu prazer.
E, enfim, desbravo a região...
Sou anão, sou colosso
Errante – jovem – ancião...
Sou amor e pecador
Me perco – me acho
Capacho – seu norte
Sou seu chão.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer