Billie Holiday completaria 100 anos nesta terça-feira

"Exposta como vítima e criminosa, cantora, para além da voz imortal, foi ícone da luta pela igualdade racial

Poucas cantoras representam tanto para um conjunto de gêneros musicais quanto Billie Holiday. Talvez porque nunca tenha de fato interpretado uma canção, mas sim personificado a tristeza que carregava na alma e despejava no palco. Ninguém jamais cantará o blues, o jazz e o soul como Billie cantou.


Nascida Eleanora Fagan há exatos 100 anos, em Baltimore, filha de mãe solteira, teve a típica infância rica em privações que uma criança pobre e negra teria nos EUA da década de 1920. Quase sem acesso a escola e passando a maior parte do tempo sozinha, foi criada em lares adotivos onde foi vítima de abuso sexual e acabou em um internato católico. Quando saiu, partiu para Nova York, onde a mãe tentaria recomeçar a vida."

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2015/04/billie-holiday-completaria-100-anos-nesta-terca-feira-4734790.html



Preto e branca
(5/6/13)

Garanto minha frágil presença
No pensamento mais estranho
Que remete ao pesadelo
Da minha pele pintada de branco.

Enxergo essa minha entrega
Em reflexos de uma lâmina cega.
E de maneira sutil, tão simples,
Transcendo ao corte seguinte.

Em doação que faz mistura,
Nossas cruas carnes nuas
Fez contraste no arraste,
Na queima que é de praxe,
Do protocolo em leitura.

Ah, minha branquinha!
Bebemos na água pura.

Pegue o banco e a caipirinha
Venha sentar-se ao meu lado...

(desnuda – noite - minha)

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI