No colo quente de Isis

On ne peut rester insensible face à l'inhumanité qui se déroule aux portes de nos frontières et aux effets désastreux de la mondialisation sur le sol français.Si tu cliques "j'aime", y'a partager qui va avec!Aimez ✔ | Partagez ✔ | Invitez ✔https://www.facebook.com/leptitmartialmusic?ref=aymt_homepage_panel
Posted by Le p'tit Martial on Quinta, 18 de junho de 2015


No colo quente de Isis
(André Anlub - 2/03/13)

A aurora dourada que brilha,
Enorme força que guia
Canalizando energia
Da bondade íntegra e constante.

Sem quaisquer variantes
E opiniões infligir:
Vestindo o pingente de um santo,
Com fé encorpando o gigante,
Com a pontaria de David.

Falha quem pensa que o bem
É frágil – pequeno – inseguro;
Que teme o invisível e obscuro.
Falácias de um João ninguém.

O mal é poder anacrônico,
Foi comício de um ser risível;
É improvável em almas capazes,
Insustentável e inadmissível.

Aspiramos ao poder intocável,
Colosso, incorruptível - no osso, na mente, na pele, 
É aço que a ferrugem não atinge.


Vive ainda mais além que a verdade,
Liberdade que constrói o arco-íris.
É a hora de olhar no olho de Hórus
E deitar no colo quente de Isis.
Quando acordo para a atroz realidade
E a saudade quer saltar forte do meu peito,
Faço um corte com a navalha da vontade...
Te procuro - me entrego - te desejo.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer