A crise econômica brasileira, que até nem é tão grave assim – nós mesmos já vivemos coisa bem pior –, está levando o comércio a fazer liquidações não só bem antes do costume como bem mais generosas. Ano passado a queima de estoque do inverno oferecia 40% de desconto. Este ano bate nos 70% e o inverno mal começou. Dizem que é só para os lojistas garantirem capital de giro, uma vez que o custo do dinheiro está muito alto. Não sei. O que eu sei é que este universo de coisas me bate mal na sensibilidade,  acho complicado, enredante, viscoso, pesado, feio, grosseiro. Por mim não haveria nada disso. Por mim, na minha delirante utópica visão de um ideal, todo mundo aplicava sem qualquer esforço, com absoluta naturalidade, aquela máxima: “De cada um conforme sua capacidade, a cada um conforme sua necessidade”. Tenho a alucinada pretensão de achar que isso levado a consequências  totais geraria um sistema de equilíbrio tamanho que não se precisaria comerciar coisa alguma. Talvez em algum lugar do universo eu não seja facilmente desmentido.

Rogério Camargo 

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI