No final...

No final das contas, quando acabar o espetáculo, as lonas forem recolhidas, o circo enfim desarmado... a mulher barbuda faz a barba, o mágico erra a mão no fim trágico, o elefante faz dieta e fica magro, o leão bobo e domesticado, o equilibrista inebriado... com a garrafa de pinga no sovaco, o anão vira rei num seriado, o atirador de faca é esfaqueado; no final do espetáculo... o único incorruptível é o Palhaço.

 

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI