Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 19, 2015

Dueto da tarde (XL)

Dueto da tarde (XL)

Um vento quente como o hálito de um bêbado bateu no rosto da desconfiança.
Deixou o desembaraço da incoerência, pois ninguém havia desconfiado desse ato.
Ela fazia sozinha o seu melancólico show de calouros, como as bonecas esfarrapadas de uma criança pobre.
Ela é esnobe; talvez pobre de espírito com tal artifício de em nada acreditar.
O vento quente seguiu seu destino e sua tarefa, deixando para trás um espetáculo mal acabado como o esqueleto de um prédio
Esperto! - o vento não para quieto, não esquenta lugar, não cria raiz, família, não constrói lar.
A desconfiança tem todos os motivos para não confiar nele e ele tem todas as razões para não levá-la a sério.
Esse (des) casamento é um mistério! - o vento sempre volta de surpresa (nisso todos confiam) e prega uma peça nos esquecidos, pois ele vem abraçado com o improviso.
O vento passa e a desconfiança fica, enraizada em terra ruim enquanto ele vai plantando inconsistências pelos ares. 
Ela cria seus azares nas consciências …
AGUNS MINICONTOS

Custavo recebeu de presente um livro com as páginas em branco e achou ótimo. Esse vai ser bom de ler, exultou. Gláudia observou: Isso tá mais pra um caderno, acho que o tio tá sugerindo que você faça um diário. Custavo repeliu a ideia: Seja tola não, o tio é mais inteligente do que isso!

- No mais, tudo bem? - No mais, tudo mais pra menos. Mas também, tão bem quanto se esperava não dá mais...

No coração do vento frio uma vontade que não era calor mas quase recitou um poema estranho, falando em coisas que ele nunca tinha pensado. Porque o coração do vento frio só sabia ventar frio e, de repente, aquela vontade.

O céu da Marquesinha desenhou umas nuvens que o céu da Condessinha imitou, para pior, e o céu da Baronesinha nunca deixou de lembrar nos saraus seguinte. O céu da Viscondessinha ria com polidez afetada, mas o céu da filha do jardineiro, aprendiz de bordadeira em casa de sua avó, nunca olhou para essas coisas.

- Vô, se eu fosse rico e famoso o senhor ia ficar…