Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 21, 2015
ALGUNS MINICONTOS

Era um filme de amador. Mas com certeza foi o melhor trabalho que Elibeu encontrou sobre o assunto. Elibeu era um produtos poderoso. Mandou fazer uma pesquisa para descobrir quem era aquele amador e contratá-lo. Não conseguiu.

Orminha, tida por vagabunda, por imprestável e por marginal estava se divertindo muito. As pessoas que vigiavam Orminha, que não aprovavam sua vida, que a chamavam de vagabunda, imprestável e marginal estavam se divertindo muito pouco.

Quando Norvinha foi a Marte, voltou trazendo um alicate de unhas e um espanador. Quando Norvinha foi a Vênus, voltou trazendo um urinol e uma caixa de clips. Quando Norvinha foi a Júpiter, voltou trazendo uma colher de pedreiro e uma cinta-liga. Norvinha só pensa em coisas práticas.

- Pai, quando é que nós vamos à Disneylândia? - Se depender de mim, nunca. - É por isso que te adoro!

Osbaldo era um homem sério. Mas gostava de rir. Então Osbaldo se organizou para rir nas horas certas, porque rir fora das horas …

Dueto da tarde (LXXII)

Imagem
Dueto da tarde (LXXII)

Sinto-me um nostálgico doente, no estágio de euforia; quero alforria desse sádico e mágico passado insistente.
De alegria também se morre, se ela é um porre que não passa, escassa chance de entender seu destino.
De tristeza também se vive, se ela é inebriante e desce redonda, fica difícil se livrar/esquivar desse acre vício.
Sinto-me um doente nostálgico, dos que não admitem a doença mas não existem, não resistem sem o remédio.
Alguns dizem se tratar de tédio, de caçar chifre em cabeça de cavalo e fugir da briga; acusam-me de ter perdido o faro para as coisas novas e de emoldurar de forma desastrosa as antigas.
Não sei. Tudo pode, nada deve. Não concordo nem discordo. Não descarto nem assumo. Deveria? Não sei.
Analiso-me e me sinto bem; olho para trás quando quero e para frente sempre, não dou bobeira e não tropeço nas possíveis pedras e nas terríveis pernas que são peritas em rasteiras.
A nostalgia não impede a vida. A vida não impede a nostalgia. Nada impede nada. Por…