Postagens

Mostrando postagens de Março 15, 2015

Dueto da tarde (XCIV)

Imagem
Dueto da tarde (XCIV)

Esperar é inevitável. Não só por causa da esperança.
Há de se viver com ação mais a paciência de Jó e jogar ao vento a projeção da perfeição.
O inevitável nem precisa bater à porta: para ele ela está sempre aberta.
Mas claro que há de tudo; há até clero andando incrédulo, sem crédito sem cédula sem sílaba sem cerne.
Há juiz sem juízo, mestre sem mestrado, cantor que não canta, galo que não gala e portas que não fecham.
Há até poetas insensíveis; dizem que há! mas particularmente não acredito, ou talvez sejam invisíveis.
Poeta insensível não é poeta, mesmo que faça versos. Assim espero. (Esperar é inevitável?) Fecho a porta para esperar melhor.
Sei que alguém dará de cara na porta, pois obstáculos são inevitáveis. Torço para que seja alguma coisa que evito.
Do lado de dentro me centro, adentro meu parlamento particular e digo a mim mesmo o que não posso evitar: amor, contentamento, frustração, inspiração e dor.
Digo isso e muito mais do que pode mais porque chora menos. Em …

Pensamentos

Publicação by Boji.

(1) A beleza é boa para quem quer levantar o ego, ostentar, se divertir, se embriagar, se iludir, passar férias, visitar... mas para fazer moraria tem que haver paz, qualidade de vida, reciprocidade, atenção e amizade... e com o tempo tente tornar sempre sua moradia ainda mais bela.

(2) A gente se habitua a tudo na vida; dá-se o nome de flexibilidade.

Quando habitua-se com assiduidade, dá-se o nome de comodismo. 

(3) O segredo é parar de bater o pé falando que o tempo voa e começar a bater as asas voando mais alto que ele.

(4) O problema não é o sujeito ter avidez exacerbada por dinheiro; o problema é ele pensar que todos seguem esse objetivo.

- André Anlub