Postagens

Mostrando postagens de Maio 6, 2015

Releituras Especiais de mim mesmo

Imagem
Flor de lis, de lírio e lírico do Preto e da Branca (releituras de mim)

Garanto minha salubre e frágil presença no pensamento mais estranho que remete apressadamente ao pesadelo da minha pele plena pintada de branco. Minha flor bela, não escute os embebedados de alma, mendigos-uísques demagogos a Go Go. Ouve a cantoria, pássaros aos montes de entortar pescoços e acariciar ouvidos... São os esboços – diamantes – da nossa selvageria de amantes. Enxergo nada cego, envergo e expresso essa minha entrega em reflexos de uma pulcra lâmina cega. E de maneira sutil, tão viva e severamente tão simples, chego, sonho, cedo e transcendo ao corte seguinte.  A doação que faz mistura – nossas cruas carnes nuas – fez contraste no arraste – na queima que é de praxe – do protocolo em leitura.  Ah, minha branquinha, flor branquinha... Me aceite eternamente seu. Bebemos nas águas puras e impuras, mas com o coração nada errante e os olhos hiantes. E diante de tudo, em estado trepidante de paixão, peço-lhe qu…

Dueto da tarde (CXLV)

Imagem
Dueto da tarde (CXLV)

A diferença os uniu de tal forma que fundiram, se misturaram e se solidificaram, criando assim um terceiro extremo.
Nada foi tão igual como quando foi diferente. E nada foi tão um como quando foi mais de um.
Nas três partes coube a uma a fantasia, à outra o arranjo e à terceira a pitada de rebeldia.
Três estrelas num céu nublado. Três ponteiros no relógio da vida – e nenhum deles é o dos segundos.
A diferença os uniu e a indiferença os cimentou. Como uma linha de lã beijando a tecelã que abraça o frio.
Como a persiana que conversa com o sol depois que a vidraça já conversou. Como o pensamento que vem depois do pensamento que veio antes.
Norteados pela aceitação, criam, recriam e abusam do poder de criar; transformam seu norte em sul, leste e oeste... São como três sóis em um céu de um só sol.
A diferença mostra-se indiferente. A indiferença também se mostra indiferente. E eles, entre si, não fazem distinção entre o que não é e o que também não é.
E eles em elos, em alas d…

Gatilhos errantes

Jet Surf | New Extreme Sport Exclusively on X-Treme Video Facebook. Ft. Kai Lenny, Jamie O'Brien & Everaldo Pato Teixeira.
Posted by X-Treme Video on Domingo, 3 de maio de 2015

Gatilhos errantes 
(André Anlub - 16/6/14)

Já vai à guerra fazer o que é preciso,
Com esse brioso dom, com esse sétimo sentido,
Breve e incrivelmente leve em tal comunhão;
À sua mente: o grito grato expondo a dor
E o corpo frio que levantam do chão.

A lua untuosa ilumina o caminho,
Pés calçados na chinela velha de um guerreiro nato,
Na mão empunha a espada ao alto 
E a outra que quase esmaga
Um garrafão de vinho barato.

Hilário no seu imaginário
Com muito peixe – com muito lago
Sem vil aquário...

É pescador e nômade,
É gigante navegador,
Senhor de diamantes
Das ricas pedras sem esse valor.

Emblemática a fábula dos seres pensantes (no oitavo sentido)...

Bichos do mato abraçados ao calor do amor;

Flutuam como pássaros em palácios de sonhos (passam batido),
Esquivam-se dos ínvidos gatilhos errantes.

Ótima quarta...

Imagem
Olhando o passado vemos que há tempos pouco a pouco as ignorâncias e preconceitos vêm sendo corrigidos e deixados mortos pela estrada. E hoje podemos chegar à evidente conclusão: não ficamos espertos, mas jazeremos ignorantes se assim crermos.

André Anlub



"Há mais de um século o cinema entrou na vida das pessoas, passando
gradativamente a fazer parte de suas rotinas. Nos dias de hoje o filme está de certa forma
em todos os lugares, não necessitando mais ir para uma sala de projeção para assisti-lo,
pois agora ele está dentro das casas, através da televisão.e celulares e tablet Assim, seria um tanto quanto
imprudente ignorar o fato de que tal veículo de informação tornou-se uma das principais
maneiras de influenciar e moldar a concepção/valores de mundo justo d uma sociedade

Cada personagem do filme representa diferentes opiniões sobre o show, os 
moradores de rua que se tornam os personagens principais do programa, Manray
(Mantan) e Womack (Dorme e Come) ganham notoriedade com o show, mas 

A cada passo um ar mais puro

THIS IS PERFECTTHIS IS PERFECT
Posted by Mavi Kocaeli on Domingo, 3 de maio de 2015

A cada passo um ar mais puro      
(André Anlub - 1/6/13)

Ela voltou, trouxe algumas flores silvestres,
Vamos agora, juntos, pela nossa rua do apego.
A calçada é larga e o sol que fulge sempre,
Há cães que não ladram e gatos nos telhados.
De longe, bem ao longe, alguém clama companhia.
Lá, onde habita o delírio, tudo existe...
E ainda insistem até mesmo em chamar de “amores”
As variedades de corações em combustão.
Mesmo com a enorme falta de enzimas e excesso de buzinas,
Reinam os notórios e imortais motores...
Nem mesmo as dores conseguem atenção.
É lá, toda a inquietude e desassossego,
Estão vendo mal de perto como funciona o medo,
E estão cansados, mostram-se exaustos.
Mas nossa estrada é larga, como já foi dito,
Há espaço e apreço para tudo e todos,
As intolerâncias não crescem no infinito,
Quaisquer que sejam e venham à tona.

Árvore de Josué

Imagem
Árvore de Josué
(André Anlub - 18/10/12)

Isolado no deserto, na sombra da grande árvore de Josué,
Escrevo alguns singelos rabiscos líricos...
Com o pensamento em nossa casa, lá, distante,
Em nossos cães correndo, deselegantes...
Vindo de encontro a você.

Por um instante a alma estacionada aqui se eleva
- Não há treva nem angústia.
Sinto meu corpo a acompanhar
Por dentro de memórias - sublimes histórias.

Sentindo o belo em todos e em tudo,
Caminhando na chuva por cima de um arco-íris sem cor,
Surdo para qualquer som absurdo...
Um banho de chuva e de glória.

Estou no alto e vejo-me pequenino sentado,
Estendo as mãos e solto um dilúvio de letras,
Estas se unem formando versos - eles se casam como uma bola de neve...
Banham meu corpo deixando-me ainda mais extasiado.

São dois de mim que se completam,
Ilustrei para expor como me sinto;
O porre de absinto de inspiração
Fez banho de chuva no verão.

Tribos urbanas

Tyrion Lannister by Jody Steel - Game of Thrones TimelapseMusic by Glitch Docta
Posted by TattooModelSearch.com on Sexta, 1 de maio de 2015

Tribos urbanas           
(André Anlub - 16/11/14)

O precipício perdeu boa parte do seu encanto,
deixando fraco canto e a sensação de não ser mais original; as estrelas tornaram-se muito mais convidativas e o amor na ativa, com sua calentura e seu interminável brilho, astuciosamente esculpe o seu brio:
Antônio Francisco Lisboa – atemporal.

Vem à luz amistosa, a luz da lua cheia, faceira,
que parece acariciar o vento; caminha pelas ruas de pedras através das sombras dos postes, dos bêbados e árvores, dobra as esquinas e passa de janela em janela, de porta em porta; passa pelas casas antigas, casas recentes e silentes, casas de Ouro Preto.

Por longas datas as bocas gritaram, cantaram e se tocaram em desejos; corações se uniram e se iluminaram em suas vielas; as bocas deles e delas perpetuaram e protegeram todo o, e o de sempre, luar.

O lugar e o legado, ago…