Postagens

Mostrando postagens de Junho 26, 2015

Dueto da tarde (CLXXXVIII)

Imagem
Dueto da tarde (CLXXXVIII)

Enquanto o destino do destino prepara as brincadeiras que não têm graça e afia as unhas em paredes de ferro, seguimos nas estradas do eterno com nossas botas de couro de búfalo e nossa rosa dos ventos de bússola.
Se é escolha ou se é imposição, o destino do destino não diz e seria demais esperar que dissesse.
O que tiver que ser será, ou não. Então, o que vai ser? O futuro é irmão do destino, mas dessa vez nem ele sabe responder.
Percebe onde as unhas são afiadas e afia lá também as espadas, as adagas e a língua.
Percebe onde a complicação fica compilada e conspira lá também as falas, as falácias confiáveis e as ambíguas.
Traça planos e os rasga de imediato; traça metas e as esquece na mesma hora; organiza tudo e vira as costas para o que organizou.
O destino se diz atino e em desatino torna-se atento: o que foi ontem foi – o que é hoje é –, e o que virá no amanhã ele não diz.
O destino do destino não quer nem saber de que lado vem a bala, não quer saber se a mula m…

Utopia do bem viver

Trabalhadores da Friboi fizeram um vídeo ironizando o comercial da empresa sobre a carne e as péssimas condições de trabalho de seus funcionários. Imperdível.
Posted by Jandira Feghali on Segunda, 8 de junho de 2015

Utopia do bem viver
(André Anlub® - 2009)

No final, tudo dará certo
Águas límpidas em terreno fértil; só pode acabar bem
Vi folha seca cair e adubar
Ouvi cantos, desafinados, de pessoas zen.
Chorar sozinho não faz mal a ninguém
Muitos estão sozinhos, muitos estão mal acompanhados
Se te encontrarem de joelhos deixem que te achem maluco
A verdade só pode andar junto com o ser amado.
Árvores mais altas tem os frutos mais doces
Muita gente não gosta de açúcar.
Vi-me pensando na vida e questionei-me
Peguei-me ouvindo as ondas e mergulhei
Olhando estrelas do mar e do céu senti-me maravilhado
Respiramos a vida, natureza e além
Comemos o fruto proibido, que na verdade se podia eu não sei
Dando as mãos iremos longe, mas o perto é menos afanoso
O que é gostoso muitas vezes pode fazer mal
Olhando para …

Perdido no espaço

Fred Zero4, do @mundo_livre_sa, lança um samba em "Amarelo Manga"! Acesse agora e converse vivo com @Leonacavalli no #CineChat >>http://bit.ly/LeonAmanga
Posted by Canal Brasil on Quinta, 25 de junho de 2015

Perdido no espaço 
(André Anlub® - 2009)

Viajo por entre galáxias
Estrelas cadentes
Buracos negros
Na velocidade da luz.

Espelho-me em grandezas
No infinito
No belo, bonito
Em muitas certezas
Inclusas no tempo e na imaginação.

Contudo me acho
Perdido no espaço
Sem pé nem cabeça
E com muita incerteza
De um ser que retorna
De volta ao chão.

Vejo-me inseguro, tonto em perigo
Meu próprio inimigo
Poeira estelar
Em um eco obscuro
Anéis de Saturno
Construo um abrigo
Em um planeta vazio
Chamo de meu lar.