Postagens

Mostrando postagens de Julho 16, 2015

Ouro de tolo (Parte II)

Evereste - Trailer OficialAssista agora ao trailer de #Evereste! Breve nos cinemas!
Posted by Universal Pictures Brasil on Quinta, 4 de junho de 2015

Ouro de tolo (Parte II)
(André Anlub - 26/1/15)

Ouro valioso, rico enriquecido, diamante da noite/dia endiabrado,
Constrói-se um abrigo inimigo de brilhantes errantes e fúteis.
Mundo sórdido de fel, cruel, vil;
Colherada de antídotos e janelas fechadas ao sol mais belo.
Íris, anel, elo, perdão e ar; 
Enxerga a riqueza no breu dos olhos cerrados. 

É amplo o mistério, é mísero o conteúdo da cachola;
Faz-se um mundo imaginário de ostentações e glórias.
Na paz, na tez: espelhos do medo de tudo que se é.

É fechado e discreto o inverno: nuvens negras e tempestades 
(dentro de si próprio);
É trancado e resignado o verão: sol quente queimando a alma
(desesperando o ódio).

Tem que se deixar ir, deixar o corpo livre ao vento;
O gole de absinto do amor – fluir, e finalmente ruir falsos intentos.
Ouro valioso é a vida: goles de eternidade na água rara bendita;
Abrigo …

É o lodo na ladainha do saber viver

Mesmerizing Dripping Paint!www.artFido.com/popular-art
Posted by artFido - fetching art on Segunda, 4 de maio de 2015

É o lodo na ladainha do saber viver
(André André - 5/8/13)

Farei uma enorme promessa,
Dessas difíceis de acontecer:
Subo escada de joelhos,
Levo uma pesada cruz até o outeiro,
Deixo de fato a bebida e o cachimbo,
Mudo-me no ato para o limbo
E fico o tempo que merecer.

Tudo que é novo de certa forma vai assustar.
Já foi construído o castelo
E agora recebe uma bela pintura.
Foi escolhido aquele azul clarinho,
Quase turquesa, 
Que é gêmeo da beleza,
Da azuleja do seu olhar.

Fim de papo, na papada cansada
Dessa ladainha.
Vou cair na real, pois agora é hora de festa.
Colocarei a torta de amora na mesa
E aquele café fresquinho.
Pegue o bongô, afine o cavaquinho
E tocaremos aquela preferida do meu avô.

O amanhã será sempre improvável
Se eu não sentir seu cheiro.
Irei me sentir o ébrio de beira de estrada
Com os faróis ofuscando a visão.

Várias vezes fui bem abusado
E mal avisado fiquei visado.
Já sou conh…

Curriculum Poético

Hoje, às 22h30, você conhece o trabalho de Tó Mané, português convidou milhares pessoas a surfar através de suas fotos. Veja mais: http://bit.ly/1gDBnG3
Posted by Canal OFF on Quinta, 16 de julho de 2015

Curriculum Poético          
(André Anlub - 3/5/09)

Começo pelo modo mais fácil, 
Entrego o meu ser por inteiro.
Espero uma solução instável,
Busco o dito amor verdadeiro.
Nunca fui exigente demais,
Também não sou perfeccionista.
Visto a camisa da paz,
Não vivo a vida seguindo uma lista.
Não traio e não suporto traição,
Atraio para mim uma forte energia.
Dispenso qualquer tipo de apresentação.
No sexo faço a dois a minha orgia.
Amo a natureza em geral,
O mar, sol, lua - o sul e o norte.
Penso que recíproca é uma coisa normal,
Não temo, nem subestimo, a morte.
Dinheiro para mim não é tudo,
Contudo, tê-lo não faz mal a ninguém.
Grandeza muitas vezes é absurdo
E humildade sempre receberá nota cem.
Não sou nenhum vegetariano,
Amo um bom filé mignon.
Faço aniversário todo ano
Não minto minha idade em vão.
Não me im…

Rabiscos gerais... [parte II]

Buenas noches!Saramago - Caverna de Platão e as imagens
Posted by Koz Palma on Quinta, 16 de julho de 2015

Rabiscos gerais... [parte II]
16 de julho de 2015 às 09:54

Por debaixo da seda
você me seda...
Brinca de ser a pura,
E eu, em apuros, me cedo.
-- x --
Tenho a parcimônia de quem cultiva passiflora.
-- x --
Vejo novos poetas
Parindo vida e feitiço,
Graça e sonoridade,
Avivando o agora,
Alcançando os ouvidos
E bulindo mil verves afora.
-- x --
O problema não é o sujeito ter avidez exacerbada por dinheiro;
o problema é ele pensar que todos seguem esse objetivo.
-- x --
Tenho alma em aquarela
alma fundida, misturada
afável e zen.
Alma branca, negra, amarela...
às vezes com tons de cinza
mas não só cinquenta!
São pra lá de cem.
-- x --
A conotação disse pra denotação que a mesma tinha um coração de pedra;
a denotação acreditou e morreu de infarto!
-- x --
Quem fala bem passa de jato ou de trem;
Quem fala mal pega cadeira e jornal.
-- x --
Uma nebulosa me persuade,
Fico com receio de satisfazer meu arroubo,
Mas meus pés…

¡Por supuesto!

Imagem
¡Por supuesto!
(madrugada de 16 de julho de 2015)

Não costumo ter dor de cabeça, na verdade é muito raro, conto nos dedos nos meus quarenta e cinco anos de vida as vezes que a cachola doeu – e não é o caso ao traçar essas linhas -, mas se tem uma coisa que tenta me alocar um dodói na cuca é o tal de “papo cabeça”, papo intelectual banal, nada flexível, que só tem como objetivo a defesa incondicional e bestial das opiniões dos interlocutores. Vejo gente com papo furado, furando cabeças; mas também vejo gente com fino trato, sem a cabeça rente, e sim de frente na obrigação de alçar o papo “gente”. Ontem o vilão era o tomate, hoje é a cebola; não há ideia mais tola do que a verdade absoluta, do ritual do falar uníssono... De repente a mentira absoluta consegue ser ainda mais fútil! As coisas mudam e em tempo, e no tempo certo, todos mudam alguns ideais. Nada mais natural que quem odeia ser rotulado, quem odeia nadar a favor da corrente, quem é pensante, poeta, filósofo; quem é astrólogo do…

A vida é uma delirante professora

The UnderGround Taekwondo Series Tang Soo Do and Extreme Martial Arts performer extraordinaire Chloe Bruce from the UK shows off her skills in this concept of an ad for the Yellow Pages.
Posted by MixedMartialArts.com on Segunda, 23 de fevereiro de 2015

A vida é uma delirante professora     
(André Anlub - 5/1/12)

A vejo assim: jeito terno e a pele como rara seda, olhos redondos iguais jabuticabas, cabelos longos e escuros e a voz direta e amena; às vezes chega a ser macabra.
- Mas isso é outra história.
Na luz da lua o amor é mais esplêndido, não há fome, não há sono e não há lamento. Como um eco a razão
transcende o vale, vara a noite além do tempo e no auge do entendimento no breu noturno despenca.
Tão insensata professora é a vida: na lida com o apego e o amor, ponderação e questionamento, ela ensina. Mas não se iluda achando que aprendeu o suficiente, pois nos seus erros eloquentes ela castiga.
Atualmente ando com ideias antigas de modernizar meus conceitos. No fundo são adágios superado…