Postagens

Mostrando postagens de Agosto 20, 2015

Robert Plant - 67 anos

Imagem
"Em homenagem aos 67 anos de vida que Robert Plant completa hoje, 20.08.2015.
Robert Plant and The Sensational Shape Shifters Stockholm 2015 complete full show"

1. Intro
2. Trampled Under Foot
3. Turn It Up
4. Black Dog
5. Rainbow
6. The Wanton Song
(Led Zeppelin song)
7. Spoonful
8. The Rain Song
9. No Place to Go
10. Dazed and Confused
11. Little Maggie
12. The Lemon Song
13.Crawling King Snake
14. I Just Want to Make Love to You
15. Whole Lotta Love/Mona
Encore:
16. Rock and Roll

A poesia tirou-me de um sujo

Imagem
Desenredou como que livrando-me dos sujos poços, lavando-me e deixando-me no fino trato. E a alma, que até então perdida, renasceu, colocando farta comida no prato e de fato sepultando os ossos. A poesia tirou-me de um sujo e apertado buraco e jogou-me num asseado e extenso espaço! Meu muito obrigado!

Fui criado na cidade grande, mas sempre frequentei os "interiores". Andei muito a cavalo; eu mesmo buscava no pasto, selava, montava e ao retornar dava banho. Ordenhei vacas e até aprendi a fazer queijo; pesquei muito em mar e rio, e como também não sou de ferro me rendi e entreguei-me à vida simples. Eta saudade que bateu e me soltou a mão por aqui! 


Saiba mais: http://www2.camara.leg.br/a-camara/conheca/centro-cultural

Das lágrimas

ציור פנים של הכלבה אייביראו שאפשר לשלב בין האהבה לאיפור לאהבה לבעלי חיים!ראו הדרכת איפור מהממת שביצעה אילנה קוליחנוב, בוגרת ומדריכה בבית הספר למקצועות היופי ירין שחף!Watch this brilliant makeup tritorial preformed by Ilana kolihnov a teacher in Yarin Shahaf beauty school, and see how she combines her love for makeup and animals.
Posted by ‎Yarin Shahaf ירין שחף‎ on Domingo, 16 de agosto de 2015

Das lágrimas
(André Anlub - 24/5/14)

Preciso de versos certos
De encaixes precisos,
Que construam uma obra prima
Da mais bela e enigmática.

Preciso da ideia no foco,
Estar sedento e famélico,
Lutando contra o branco do vazio
Sem armas ou mapas,
Sem asas endurecidas
Ou velas furadas.

Quero ouvir a verve gritando
Ao mundo, ao pouco,
Como louca rara
Que absorve a vida aos poucos.

Preciso da sua leitura
De corpo nu em noite tão escura
Que nem as estrelas deram as caras.

Preciso do deleitar dos olhos vexados,
Umedecendo e emudecendo,
Abertos, fechados,
Deixando cair suas lágrimas.

E por fim...

Imagem
Estou muito compenetrado nas minhas distrações, A tal modo que me flagrei dançando sem música
E assim segui até o final do disco.
Ele é barco à deriva, com pernas já cansadas  olhos que veem pouco a voz que é quase nada. Mas ainda joga o jogo tem asas para o voo e aposta sempre alto num farto salto solto... Ele pode ser eu ser você e ser todos.
André Anlub (5/2/14)
E por fim...
Ela quer recuperar a autoestima, Não ser a vítima dentro da situação... Na contramão de um sorriso largo, Na contradição de um fácil enigma.
Não quer falar nada sobre o salto alto, Nem a inocência da criança interior. Não fala do caro perfume de odor barato Que ao apreço e ao berço impregnou.
Traz má sorte ver a cara da morte Antes de consolidar o casamento. Se for para elogiar, que seja seu consorte, Se for para ferir, que seja o mundo inteiro.
Se há algum segredo nos que cultivam medo, Deve ser mostrado, pois o solo é sagrado; E se o mesmo é fértil (produz belos rebentos) Esconde-se o erro, fere a fogo e ferro.
André Anlub (04/04/13)