Postagens

Mostrando postagens de Outubro 4, 2015

Para refletir...

Texto de VLADIMIR SAFATLE

"Quem tem o direito de falar?
Estabelecer que minorias só podem falar dos problemas de seu grupo é uma forma astuta de silenciamento

A política não é uma questão apenas de circulação de bens e riquezas. Ou seja, ela não se funda simplesmente em uma decisão a respeito de como as riquezas e os bens devem circular, como eles devem ser distribuídos.

Embora essa seja uma questão central que mobiliza todos nós, ela não é tudo, nem é razão suficiente de todos os fenômenos internos ao campo que nomeamos "política". Na verdade, a política é também uma questão de circulação de afetos, da maneira com que eles irão criar vínculos sociais, afetando os que fazem parte destes vínculos.

A maneira com que somos afetados define o que somos e o que não somos capazes de ver, o que somos e não somos capazes de sentir e perceber. Definido o que vejo, sinto e percebo, define-se o campo das minhas ações, a maneira com que julgarei, o que faz parte e o que está excluído do …

Aqui dentro

Posted by Guilherme Ribeiro on Sábado, 3 de outubro de 2015

Aqui dentro

Há um amor que trabalha arduamente por tudo e todos, por dias e anos e até no sem fim. Existe o rugido de uma fera risonha, que toca e cura, enxerga e expurga a semente obscura. Há a melancolia de cartas queimadas, amores deixados em tempos partidos. Há fotos nos porta-retratos sempre alteradas, do preto e branco ao colorido sem brilho. O ontem no calendário, transtornado e aflito por fazerem dele um amanhã vazio. Há boatos de sorrisos, também falos umbigos de mentes mecânicas e corpos esguios; na uva, na ameixa, na seda, na beleza completa da mão que acaricia um rosto pelas manhãs; sem esquecer-se do elemento esticando as curvas em linhas retas de traços rompendo dimensões num ingênuo abraço. Tem limão e tem dente de alho, e o pagão reservou seu lugar para o paladar em sacrifício; agora sai em desafio, correndo no meio fio e folhas deixadas voando dos livros de Ana Cristina, de Sylvia Plath e companhia para outros…