Postagens

Mostrando postagens de Dezembro 31, 2015
MUNDINHO DO CINEMA

“Já estive em Paris, França, e Paris, Paramount. Prefiro Paris, Paramount” (Ernest Lubitsch). Se eu fosse obrigado, a boca de fuzil, a fazer uma escolha, escolheria Paris, França – pela qual não tenho a menor simpatia, mas apenas e tão somente porque seria mais real, mais viva, menos alucinação e delírio do que Paris, Paramount. Já é difícil manter os dois pés na realidade. Já é difícil não se perder em fantasias. Optar deliberadamente por um universo fantasioso é dar um tiro no pé, se a intenção é a de viver alguma coisa fora da ilusão. Mas quando a ilusão se torna um valor inestimável, quando não é só uma fatalidade, por tudo que a mente já faz sozinha, mas igualmente um bem de raiz, aí não adianta nem argumentar. Aliás, quase sempre argumentar é uma grande perda de tempo, só serve mesmo para o argumentador pensar coisas boas de si mesmo – que é um cara atilado, mentalmente organizado e de “boas intenções”, já que deseja mostrar “a verdade” para os outros. Isso é,…

Feliz 2016

Imagem
Em 2016 vamos tentar não reclamar de barriga cheia! 


Ação Corrente do Bem


"O que nos une? O desejo sincero de ver um mundo onde todos tenham a consciência da verdadeira unidade... afinal, todos somos um. 

Um mundo aonde solidariedade, respeito, igualdade, fraternidade, compaixão e caridade não façam parte de um dicionário utópico, mas sim da chama que move nossas ações no dia-a-dia. Um mundo onde todos saibam o significado da palavra empatia, mais ainda, que a tenha como uma de suas mais preciosas qualidades.

Um mundo aonde não enxerguemos a casca, o rótulo, o adjetivo aparente, mas sim as qualidades internas, as ações de bondade, as palavras de ternura. Um mundo onde não existirá negros, brancos, amarelos, gays, héteros, transexuais, evangélicos, católicos, ateus, espíritas, países do Norte ou do Sul, do Leste ou do Oeste, mas onde existam SERES HUMANOS, IRMÃOS, no contexto mais sublime da palavra.

Um mundo onde magoar, violar, ofender, maldizer, prejudicar o outro é inadmissível em …