QUANDO NÃO ADIANTA EXPLICAR

Há cerca de uns trinta anos atrás, meu irmão estava em seu ateliê pintando um quadro e eu em volta, curtindo o ambiente e o bom papo. De repente ele se irritou e soltou uns palavrões. Ué, o que foi, perguntei. Essa nuvem aqui, ele apontou. O que tem ela, eu quis saber. O que ele respondeu me serve até hoje como alegoria para enquadrar determinadas situações: Se tu não consegues ver, não adianta te explicar.

ROGÉRIO CAMARGO  

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer