Falando em chá...




Chá de Sumiço (música feita em 2006)

Estou vendo lá, ao longe
Um micro umbigo abominável
Pensa ser deus ou um monge
Mas nem sequer é palpável!

Aos que amam poesia, desejo saúde.
Aos que criam a melodia, plenitude.

Na inquietude da melancolia...
Que se cala diante da inspiração
Coloca-se a mão e dá-se o grito de alerta...
Constrói-se uma Taba.

Para quem não gosta de nada disso...
É chouriço, chá de sumiço... 
Ou vá à merda!

Aos que amam poesia, desejo saúde.
Aos que criam a melodia, plenitude.

Na verdade pronunciada, pré núpcias anuncia o pé na estrada:
Esteve em estada completa, na campana da cabana da mata...
Morre ou mata...
Ou vá à guerra; ou vá à farra.

Filha chave de cadeia
Tomou chá de sumiço
Experimentou um chouriço.
A mãe há nove meses...
Com o compromisso
Toma chá de cadeira.

Desejo saúde, aos que criam a melodia;
Desejo plenitude, aos que amam poesia.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI