Ótimo sábado meus caros amigos


Falaste que a inspiração
Havia encontrado o fim,
Perdendo o ritmo, sem voz no coro.
Os anjos não voavam nos sonhos,
E loucos, sem as flechas, em vestes brancas,
Riam das caretas das carrancas.

Anti-herói filósofo (2/1/13) Não me acostumo a recear paixões, em qualquer esfera. Já com meus quarenta e poucos anos, afortunado, burro de carga nos caminhos da vida, em estradas esburacadas, dias nublados, na fome na sede na imaginação. Será que sou anti-herói filósofo? - Que tem a cabeça dura de pedra, de frágil esteatito; que tem perigosa peçonha e usa para criar o antídoto; que tem o coração guardado a sete ou oito chaves... mas deu cópia aos amigos. A meu ver o amor foi descoberto na era Cenozoica, período Quaternário. Perdidos, os corações de artistas, traçados rupestres, ecos de pesares nas paredes das cavernas e eternizado nas mentes apaixonadas.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI