Paz e Amor

Domingo de lábia ou grito, na cruz ou no bingo? 
Que nada - que sina! Esse é sol, praia ou piscina!

Sonhei com o dia que estreou a nova fase da lua, feita com calma e cuidado só para os apaixonados; Ela tornava-se duas, duas metades encantadoras,
Sempre perto uma da outra assim(como um casal). 
Cada qual com sua importância, influenciando nas vidas e refletindo a luz do astro rei.

Quem será o guardião desse coração tão intenso, raro e quente? 
A verdade mostra pra que veio, o ópio evapora na veia, surge a sorte pisando na morte e tornando o instante perfeito.

Paz e amor
(28/8/12)

Minha paz...
Procurei minha paz
Em meu norte,
E com sorte
Achei muito mais.

Minha paz é colosso, forte,
Muito além que presente
É minha paz.

Uma paz revolucionária
Conquistada na infância,
Na elegância das brincadeiras,
Mas jamais imaginária.

Mas essa paz
Na própria paz se perdeu,
Se foi,
Arremeteu...

Era imortal, mas acabou,
Não tinha fim, mas morreu.

E no enterro da paz,
No “aqui jaz” do bem querer...
Jamais irei saber
Se a paz é (ou não)
Você quem faz.

E meu amor...
Procurei meu amor em todos os cantos,
De Botafogo ao Catete,
Em baixo do tapete
E até em outros planos.
Procurei na nostalgia,
Na felicidade, magia,
Na inenarrável emoção
E só achei desilusão
Com o criador e sua cria.
Onde estará?
- Do outro lado de uma falésia que se erguia...
O que sacia o coração?
Amor: gigante nunca encolheu,
Estacionou no apogeu,
Mas se arriscou e cansou!
O que sobrou o vento levou
E azedou o mel...


- Já que azedou, vou largar o verbo,
Malhar o prego e vomitar marimbondos:

Existem três grupos distintos de povo;
Dividem-se em 40% de pessoas que não se importam com o bem-estar alheio, com a fome, saneamento básico e a ascensão dos mais pobres; Outros 40% fingem que se importam e 20% realmente se importam...
Nesse último só 10% fazem algo a respeito.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI