Tempo de ser “Amado”


Tempo de ser “Amado”

No coração da donzela, o nirvana em linhas e livros
Imaginação que não finda
Contando a história, colorindo a Bahia
São capitães de areia nas terras do sem fim.

Na tenda dos milagres reside Tieta e o Jubiabá
“Só deseja o amor dos homens pra bem amar”.

Sendo a Gabriela mais bela
Que ressuscitou o mar morto
No céu a caravela na magia do brilho da lua.

Na quimera dos deuses...
Yemanjá é rainha...
Benção em todas as letras, sorrisos e prantos.

Da preguiça na rede
No Rio Vermelho
Singular papel de parede
Farol da Barra.

No majestoso banhar da menina nua
Mostra-se a diferença com cara lavada ou não
Pão da fome, pés descalços, pesca e religião
Fé e força da capoeira de rua
Exposto na maior lisura.

Linguajar simples e honesto
Salvem todos os santos
Salvem a literatura.

André Anlub

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer