Inspirado em Neil Gaiman


Inspirado em Neil Gaiman

Ela não apontou o dedo para ele,
Mesmo havendo um legítimo motivo.
Diz que quem deseja não ser oprimido,
Vai ter que aprender a voar entre nuvens.

Neil Gaiman disse em uma ocasião:
 “Às vezes você acorda e às vezes a queda mata você;
Às vezes quando você cai você voa.” 

Ela pergunta qual o seu cartão de visita...
Supondo que a pessoa não tenha imediatamente uma resposta em mente,
Ou é excesso de qualidades,
Ou a completa falta da mesma.

Ela sussurra que nas duas opções nunca se deve apontar defeitos alheios,
Segue jogando suas pétalas ao ar,
Que com o vento colorem e realçam o caminho de areia.
Nunca, em toda sua vida, seguiu sozinha,
Pois sempre deixa esse rastro ao passar.

Ele também quer deixar sua pista,
Seguir à risca o manual da boa convivência.
Chutará as nádegas da demência,
E tentará deixar um bom aroma nas despedidas.

Se foi um sonho,
De alguma forma foi real...
Pois existiu, mesmo que por alguns minutos,
Na história da sua vida.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

Tempo de recomeço

Folhas secas