Postagens

Mostrando postagens de Janeiro 24, 2016

Madrugada de 24 de janeiro de 2016

Imagens de Lampião, eram coisas realmente difíceis de se conseguir, mas um homem chegou a fazer, talvez os melhores...
Publicado por Cariri das Antigas em Sexta, 23 de outubro de 2015

Madrugada de 24 de janeiro de 2016
(Saturado de arte - no bom sentido; saco nada de Marte - no vão 'sentigo')

Desceu um litro de água direto goela à baixo, de uma só vez. Depois de mergulhar fundo nesse amor, nem tudo seguiu o mesmo fluxo, algumas pessoas próximas, teimosas, apenas observavam e se seguravam nas pedras para a cachoeira não levá-las comigo. Nem tudo era taxado de absurdo; talvez loucura, um jazz de trás para frente, um rock no rol das músicas para dormir ou coisas similares. Não entendia patavinas, apenas via as pegadas na areia... aquela voz tonitruante aos ouvidos somente fazia caricia. O amor agora faz paredes de vidro e tetos de aço puro; e mesmo com essa indelicadeza, estava tudo exposto, tudo continuava a seguir seu caminho... a pomba branca de algodão, a mão no corrimão da esc…

Bonifrate

https://www.facebook.com/templeofartdocumentary/videos/440661432794656/"> href="https://www.facebook.com/templeofartdocumentary/videos/440661432794656/">Temple of Art: RISK // Mad Max: Fury RoadTaking huge risks in your work can be terrifying. Recent Oscar nominee Mark Mangini talks about his experience with Mad Max: Fury Road, the importance of taking risks for your art, and how even taking risks at the top of your game can be scary.PRE-ORDER THE FILM: http://templeOfArt.net/shopRISK is a vignette from TEMPLE OF ART, a documentary that looks at what it even means to be an artist, how to fail beautifully, and proceed with courage. From Co-Creators Allan Amato & Olga Nunes.
Publicado por Temple">https://www.facebook.com/templeofartdocumentary/">Temple of Art em Quinta, 14 de janeiro de 2016

Bonifrate      
(André Anlub - 11/10/11)

Nem imagino por onde é o começo,
Quiçá pela dor que corrói em saudade;
Nessa idade que se iniciou o apreço
Que migrou …

Só o sol é feliz sozinho

Surfing one of the biggest waves in the world. Wow
Publicado por Galway Bay FM em Sexta, 15 de janeiro de 2016

Só o sol é feliz sozinho
(14/6/13)

Quero voar, mas não ver tudo de cima,
Gosto de ver de dentro, todos abraçados ao vento,
Dentro do sorriso de lua minguante.
Quero o olhar de cão manso, 
Quando quer entender o homem,
Pois desde quando me entendo por gente,
Só compreendo o mar batendo no corpo.

É sim, se encara de pé e de frente,
Com absoluta fé no abc do amor.

As conquistas estão por aí,
Do seu jeito, cada uma,
Nas qualidades, nos defeitos,
Confrontando com os rubros e anjos.

Cada passo de cada vez,
E sempre, e firme, e forte.

A mão da paixão que toca,
Vai arranhando e colorindo corações,
Deixando a voz rala e turva,
Mas com a excelência de um fulgor,
Que vai esculpindo emoções.

Mas não é o amor que fala?
No que valha do tempo,
O gozar dos momentos,
Pois o mesmo cala diante de si,
E assim é agrado e é sagrado
Vendo o sol viver feliz solitário.