Postagens

Mostrando postagens de Março 20, 2016

Ótimo final de tarde

Doido Adoidado (ascetismo hedonista, porém certeiro e cético)

Nas manhãs o sol piegas prega uma peça: se esconde atrás de uma nuvem e torna ainda mais glacial a água da cachoeira. As novas selvas não são anfitriãs, são as selvas de pedras e as de podres; há deusas anãs; há duendes gigantes. O tempo está estafado; está estufado; está estatelado. Muita pimenta no pirão; muito pernil com paçoca; mas o pulso ainda pulsa. Já foi descrito algo assim, fatos mais que conhecidos; até eu já debati mentindo, já me bati me debatendo. Enganando a escória pisaram na Lua e correram em Marte, fiquei corado e fui coroado um mártir eunuco e maluco; no final das contas joguei os dados: fumei ópio no hospício, e doido, deu para mentir adoidado. Que fatalidade: ao fechar seu zíper, Zappa perdeu seu Zippo; ficou com o fumo, mas sem consumo, sem fogo, sem fósforos; ficou famélico e – quem diria – com fisionomia de abstêmio, perfume de absinto e sorriso de feijão-fradinho. Não foi um ano velho e não há o novo…

A Luz e o Diamante

Imagem
CXXII

O tempo não andava. Parecia estar com os pés enterra-dos em concreto
E o que é concreto confessar é que do jeito que está sua vida também não anda.
Procura marretas, martelos, picaretas, ajeita-se em mu-tretas. Procura, procurava: o tempo não andava.
A vida estacionada em vaga de deficiente esperando algo diferente e aguardando o hipotético estouro do rebanho.
Ganho ou perda dão no mesmo se este a esmo não se resolve. Não se dissolve o concreto mandando embora o que não vai embora.
O tempo estacionado em vaga de idoso esperando esperançoso que os ponteiros corram soltos e saiam nada vagarosa-mente desse casulo inerente.
Autopoliciamento: multa e guincho. Talvez uma troca de prisão tenha aroma de liberdade.
Pelo menos assim agitam-se! O tempo e a vida liberam as vagas para os que realmente devem ficar parados:
Todos os que sustentam. Todos os que, caso se movam, deixam cair o que repousa sobre os seus ombros. Sobre os ombros dele o peso é o da gravidade – a responsabilidade de não carrega…