Postagens

Mostrando postagens de Julho 27, 2016

Uma excelente quinta a todos!

Imagem
Um Moinho*

A travessia é dura,
Dias de chuva - noites de frio
Dias bem quentes - noites sombrias.

Nesse caminho confuso,
Nessa estrada sem placas;
Entre o reto e o obtuso
Todos afogam suas mágoas.

Com a bota furada,
Pisando em barro ou em pedra,
Pronto em pé ou na queda,
Tiro o melhor na caminhada.

Se encontro uma rocha grande:
Serve para descansar.
Se encontro um mar:
Sou filho de navegante.

Se a fome quiser ser minha sombra:
Como um pedaço de pão...
E se não saciá-la:
Posso matar um leão.

Tudo posso e tenho
Se a força não me faltar.
Como um moinho de água,
Que mesmo se o poço secar,
Usa o vento pra roda...
Nunca parar de girar.

*Menção Honrosa no I Prêmio Literário Mar de Letras, com poetas de Moçambique, Portugal e Brasil, ficando entre os 46 primeiros... assim participando do livro Controversos; Menção Honrosa do 5° Concurso Literário Pague Menos, de nível nacional. Ficou entre os 100 primeiros e está no livro “Quem acredita cresce”.

Livro OnLine Aqui: 5° Concurso Literário Pague Menos

Ótima tarde

Imagem
Inspiraturas: Por onde andei? - e-book de vários escritores do Balcão de Poemas - Aqui!


Na segunda levou trabalho para casa, mas na terça não levou o estresse para a rua.

Na liberdade há muitos fetiches, mas a incoerência e o paradoxo existem em se prender neles.

Torta de amora (14/11/13) - Renasce com o dia a serenidade, que buliu com o ontem fazendo o momento, esculpindo o hoje de um modo mais tenro, fundindo o amor e rejuvenescendo. Seduzido no deserto pela miragem, fica quase abolida a palavra “sozinho”. Mil dentes surgem sem prévia censura, fazendo abrigo no corpo vizinho. Fez-se vida no horizonte do sortilégio, jogada ao vento no intento da vela. As águas singelas, um sol amarelo, nos pés os chinelos de couro bem velho. Há aquela clara linha que guarda e guia, caminho dos senhores, dos guris e gurias, alegrando o coração no calor da emoção, tornando a ação repleta e divina. A essa linha tênue se deixa um pedaço:
- Não da paz, não do corpo, da alma tampouco. O pedaço que nutre, que f…