Ótima semana a todos

Domingo de lábia ou grito,
na cruz ou no bingo?
Que nada, que sina, 
esse é sol, praia ou piscina.
---- x ----
As gaiolas se abriram, voam os pássaros rumo à vida.
Falham as bombas e pombas de branco se pintam.
O mundo esquece seu eixo, gira em toda direção...

Pira sem nenhum desleixo, sem a menor ambição.
---- x ----
Meu amor bateu de frente
com seu cheiro de alfazema
com seu humor de hiena
e interpretação eloquente.
---- x ----
É no amor, e não há impossível
no verossímil da batalha à vitória.
Fez de fulgentes momentos, o invisível
e na equação da paixão, a auréola simplória.
---- x ----
Sobre o amor?
- Sim, eu conheço, sei bem dessa fábula
sei qual o seu curso, bons e maus imprevistos.
Falam de alguns vícios, falam de absurdos
não provaram na língua o que dizem amargas.
---- x ----
Vê-se a razão que não mingua
fala-se em matrimônios – mistérios
infindos sem afins nem começos
assim dá-se o nome de vida.
---- x ----
O corpo foi na onda e saiu do dilúvio,
Forte e firme em direção ao sossego;
O abraço (prévia do beijo)
fez-se ao relento
E o medo (descalço e bêbado)
caminha viúvo.
---- x ----
Sim, é poesia!
Faz crescer as flores,
nasce das flores crescidas.
---- x ----
São cordeiras com seus contornos que deslumbram,
Preparando os retratos dos fetiches do sonhador.
E posam quase nuas,
Apenas a peça de seda pura de paixão.
---- x ----
Quero ouvir a verve gritando
Ao mundo, ao pouco,
Como louca rara.
Preciso da sua leitura
De corpo nu em noite tão escura

Que nem estrelas deram as caras.

André Anlub

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI