Ponderações I

A certeza do existir (Jan/2011)

Existe um amor permanente a cada expoente de um coração;
Segue batendo latente, sem compromisso, sem dor ou noção.
Dentro de cada individuo divide uma vida entre amor e a razão.
Nele convive a certeza e nem sempre a clareza, sendo sim – sendo não;
Basta a sinceridade expondo a verdade da própria emoção,
Quando se nela acredita não existe barreira que não caia ao chão.

Já no final de tudo cabe achar seu par – seu amar – seu amor;
Quando achá-lo, contudo, entre de alma e cabeça com todo o ardor.

Para quebrar a leitura vou acrescentar essa coisa fútil, dispensável, absurda, cega, surda e muda... que é esse confuso parágrafo inútil.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

Tempo de recomeço

Folhas secas