“Bora nessa”

(16/8/14)

Há lençóis em que se repousa,
Que se sonha, que se voa,
Que se doa e se pousa...
E quaisquer lençóis em que tu estejas comigo,
Estarei aquecido, envaidecido...
Em plenos amor e abrigo.

“Bora nessa” (10/8/14)

Vou caminhando com total certeza:
No fundo, no fundo, você está em mim.

Não a vejo, entretanto consigo ver o belo,
Os olhos fracos ainda enxergam.

Ouço tal música (aquela nossa)
Os ouvidos estão indo bem;
Mesmo sem você escrever uma só linha,
Como nunca, sinto sua poesia,
Pois ela também é minha...
(admiração eterna).

No fundo, no meio e no raso,
Meu escuro – meu escudo
Meu jardim – meu cenário.

Nos olhos de janela,
Cada casto colorir de aquarela,
No vácuo, no vasto, no espaço,
Em cada música,
Em cada arte que faço
Em, absolutamente,
Todos os meus passos e traços...

Você está em mim.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

Tempo de recomeço

Folhas secas