E foi assim...



Pink Floyd, O Rappa, Stones ou Jesus Cristo... fases de um mesmo Eu.
Faço dos meus "Deuses" o alter ego da minha consciência.

Sonho sonhado só é só sonho. Mas há o sonho que se assina assanho; e quando sonhado junto torna-se quase utopia. 

Nas ondas da arte navegam a sensualidade, a sensibilidade, o dom, o som e o tom; enfrentam tempestades de críticas e chuvas ácidas de mentes e bocas que se dizem nobres e imaculadas... Mas não são. 

Não vim ao mundo para durar; quem dura é pilha de marca e conselho de avó; vim ao mundo para fazer o que gosto, ser feliz e ter qualidade de vida à minha maneira. Vivo sem me preocupar com o tempo de estadia.


Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI