Ótima semana

A maior das sentenças (31/8/13)
Tem gente que acabou de aprender a amarrar o tênis e já está dando nó na cabeça.

A primeira grande chance de liberdade,
Real, que quase escorre pelos dedos.
Viu exposto – justificado,
No patamar da vida,
Uma ferida recentemente aberta;
Sangria... chega aos olhos e choca.
O amor tornou-se denso,
Impávido e órfão.
Tornou-se solitário,
Moribundo.
Tornou-se breu e áspero... vão.
Então anulou qualquer acordo
Que ainda estivesse em aberto.
Então desviou-se dessa estrada de pedra,
Entrou na de chamas – chuvas:
- mas com renovada deliberação.
O amor é assim:
Vai e vem - foi e virá...
Mas buscá-lo é de suma importância.
É réu confesso e se entrega à paixão...
Juiz maior dos sentimentos,
Que dê a maior das penas
Pois a cumprirá sempre de pé.
Misturava as letras,
Fazia a sopa e distribuía todos os dias na praça... 
Saciava a fome de muitos
E os muitos saciavam sua vida.
Só dá valor a coisas grandes na vida,
Descarta as pequenas; mas assim como
Numa cabeça de alho,
Vão-se os dentes grandes em farturas, exageros,
E uma hora restam os pequenos para os temperos ponderados.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer