Uma noite poética a todos


Conserto no peito meu coração partido
Às vezes perdido em algumas rotas
Saúdo o mundo dando tchau ao umbigo
Atrever-me é sempre a resposta.

Réu confesso (2/6/12)

Estou fora da rota comum,
Chega a ser difícil dizer isso
Ou de repente não...

Pode ser até que haja arrependimento,
Pois chegaria cedo se fosse só;
Chegaria tarde se não desse certo;
Chegarei feliz se tudo correr bem.

Qualquer júri pode me condenar culpado,
A vida pode tentar me passar à perna,
Mas eu compro briga e nada disso importa.

Não quero perguntas nem viso respostas
Arriscarei algo demais nessa consciente aposta.

Posso carregar no peito um coração ferido,
Ficar perdido nas rotas da alegria.

Posso escutar ruídos e enlouquecer,
Mesmo assim arriscar é a resposta.

Dou-me por vencido,
Entrego o meu amor ao seu.

Há harmônica verdade,
Há motivo para se viver.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer