Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 10, 2017

Dueto LXXXV

A cena da vida (6/10/12)

Relembro promessas vi-me em outras épocas remetido ao passado, meu caminhar já caminhado.
Esperei te achar, por detrás dos arbustos, arbustos de pele no cheiro de capim limão.
No núcleo de cada ideia há uma pequena, mas poderosa explosão. fico por aqui, calado, digo até amanhã. Seguro a mão do meu guia (sinal de aceitação). o que procuro? o que me falta? o que me farta? em que me incluo? Retorno no tempo, ao jovem velho que sou, com lapsos de clareza, com raptos de coragem, absoluta certeza na direção da cena que outrora centenas... cena da minha vida.
II
A condição “sine qua non”
Para sua existência é macabra; língua de serpente, asa de morcego e chifre de cabra; seu amor é cego... arrancou-lhe os olhos.
Nesse holocausto é só mais um fausto, fato verídico que poucos notam; na ponta da faca escorre uma gota podendo ser sangue, suor ou pranto.
III
A dialética do homem atual é transformar em filosofia coisas simples, óbvias e deixar de lado o que é de suma importância se…