Uma das melhores coisas do mundo é uma convivência harmoniosa, sem atritos, onde todos os participantes podem, realmente, ficar à vontade, desarmados, sendo o que são sem sentir ameaça nenhuma por parte de quem está junto. Porque, neste caso, quem está junto de fato está, forma corpo uno, senão em ideologia, ao menos em, como disse, convivência. São pessoas que não fazem sacrifício para dividir o mesmo ambiente e, se não sentem um, digamos, prazer indescritível com a presença umas das outras, com certeza não veem nesta presença problema nenhum, estão entregues, estão em paz. Uma das piores coisas do mundo é o contrário de tudo isso, a tensão, a desconfiança, a armadura, a defesa constante, comportamentos arredios, belicosos. É péssimo porque pouca coisa existe pior do que não estar em casa dentro da própria casa.

(Rogério Camargo - do livro TODOS E NINGUÉM)

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer