17 de dezembro de 2018

Biografia quase completa:


Escritor, autor de sete livros em papel: Poeteideser de 2009 (edição do autor), em 2010 o e-book Imaginação Poética, em 2014 a trilogia poética Fulano da Silva, Sicrano Barbosa e Beltrano dos Santos, em março de 2015 lançou Puro Osso – duzentos escritos de paixão e o livro de duetos A Luz e o Diamante, todos pelo Clube de Autores; em novembro de 2015 lançou o livro em trio “ABC tríade poética” pela PerSe, em setembro de 2017 lançou Gaveta de Cima - versos seletos, patrocinado pela Editora Darda e em janeiro de 2019 estará à venda no Clube de Autores - a preço de custo - o seu mais novo livro: Absolvido pela Loucura; Absorvido pela Arte (compilações de todos os textos intitulados "Das Loucuras").
Como coautor participou em mais de cem Antologias Poéticas em papel e dezoito em e-book. 

• Consultor e marketing pela Editora Becalete.
• Técnico em Prótese Dentária formado pela SPDERJ.
• Artista Plástico com obra no Acervo Permanente do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Bahia.
• Membro do MCEL (Movimento Cultural Elos Literários)
• Membro N°55, escritor da Associação Cultural Poemas à Flor da Pele (RS)

Academias:
• Membro vitalício da Academia de Artes, Ciências e Letras de Iguaba (RJ) Cadeira N° 95
• Membro vitalício e Embaixador Internacional da Academia Virtual de Letras, Artes e Cultura da Embaixada da Poesia (RJ)
• Membro Correspondente da Academia de Letras do Brasil (seccional Bahia)
• Membro Correspondente da Academia de Letras do Brasil, cadeira N° 24 (seccional Araraquara (SP))
• Membro Correspondente da Academia de Letras de Goiás Velho (GO) 
• Membro Correspondente do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa (PT)
• Membro da Academia Internacional De Artes, Letras e Ciências – 'A Palavra do Século 21' - ALPAS 21 – Patrono Condorcet Aranha

Trupe Poética:
• Academia Virtual de Escritores Clandestinos
• Elo Escritor da Elos Literários
• Movimento Nacional Elos Literários
• Poste Poesia
• Bar do Escritor
• Pé de Poesia
• Rio Capital da Poesia
• Beco dos Poetas
• Poemas à Flor da Pele
• Tribuna Escrita
• Colaborador no Portal Cronópios 2015

Antologias Virtuais Permanentes:
• Portal CEN (Cá Estamos Nós - Brasil/Portugal)
• Logos do Portal Fénix (Brasil/Portugal)
• Revista eisFluências
• Jornal Correio da Palavra (ALPAS 21 - Academia Internacional de Artes, Letras e Ciências - "A palavra do Século 21)
• Projeto Meu Poemas do Beco dos Poetas 

Concursos, Projetos e Afins:
• Menção Honrosa do 2° Concurso Literário Pague Menos, de nível nacional. Ficou entre os 100 primeiros e está no livro “Brava Gente Brasileira”.
• Menção Honrosa do 4° Concurso Literário Pague Menos, de nível nacional. Ficou entre os 100 primeiros e está no livro “Amor do Tamanho do Brasil”.
• Menção Honrosa do 5° Concurso Literário Pague Menos, de nível nacional. Ficou entre os 100 primeiros e está no livro “Quem acredita cresce”.
• Menção Honrosa no I Prêmio Literário Mar de Letras, com poetas de Moçambique, Portugal e Brasil, ficou entre os 46 primeiros e está no livro “Controversos” - E. Sapere
• classificado no Concurso Novos Poetas com poema selecionado para o livro Poetize 2014 (Concurso Nacional Novos Poetas)
• 3° Lugar no Concurso Literário “Confrades do Verso”.
• indicado e outorgado com o título de "Participação Especial" na Antologia O Melhor de Poesias Encantadas/Salvador (BA).
• indicado e outorgado com o título de "Talento Poético 2015" com duas obras selecionadas para a Antologia As Melhores Poesias em Língua Portuguesa (SP).
• Participa do prêmio Talento Poético 2016, 2017 e 2018 pela Editora Becalete
• indicado e outorgado com o título de "Destaque Especial 2015” na Antologia O Melhor de Poesias Encantadas VIII
• Revisor, jurado e coautor dos tomos IX e X do projeto Poesias Encantadas
• Teve poemas selecionados e participou da Coletânea de Poesias "Confissões".
• Dois poemas selecionados e participou da Antologia Pablo Neruda e convidados (Lançada em ago./14 no Chile, na 23a Bienal (SP) e em out/14 no Museu do Oriente em Lisboa) - pela Literarte

Aparições de Obras em Mídias Públicas:
• Jornal Carioca Prana Edição 196° Jun/13
• Revista Novitas Dez/Jan 2011 - N°13
• Colaborador do projeto World Body Project do artista plástico Genivaldo Amorim
• Poemas declamado na WebTV espaço Jorge Guedes
• Poema "No teatro da vida" declamado no 28° Salão Internacional do Livro - Genebra/Suiça – (3/5/14).
• Varal de Poesias do Sarau do Parque das Mangabeiras 21/9/14 - (BH)
• Poemas declamados no “Sábado Arrastão” da Rádio Comunitária Campeche – Florianópolis
• Poemas publicados em algumas edições de “O Jornalzinho” do Postal Clube – fundado em 14/4/88
• Fez parte de varais poéticos e do Poste Poesia
• Colaborador do Projeto Poesia nas Árvores (Pé de poesia) em Salvador
• Colaborador do Espaço Poético (Seu Espaço Ano II) da Rádio RCP-VAR de Portugal, ao comando de Antônio Silva
• Participou dos dois projetos Mil Poemas para Gonçalves Dias e Mil Poemas a Vinícius de Moraes
• Colaborador do Projeto Doce Poesia Doce em Salvador
• Colaborador do Projeto Pegaí Leitura Grátis
• Colaborador do Projeto Declame para Drummond 2016

Prêmios:
• Medalha Personalidade 2013 pela Academia de Artes de Cabo Frio (ArtPop)
• Prêmio Excelência e Qualidade 2014 pela Braslider
• Mérito Cultural Maestro Wilson Fonseca 2015 pela ALuBra
• Joia Acadêmica de destaque na Cultura Brasileira 2016 pela ALuBra
• Prêmio Prata da Casa Personalidade 2017 pela Embaixada da Poesia
• Comenda Conde de Figueiró (protetor dos artistas) 2017 pela Embaixada da Poesia
• Certificado de Mérito Cultural 2015 e 2017 pela Editora Futurama 
• Certificado Talento Poético 2015, 2016 e 2017 pela Editora Becalate
• Certificado Maravilha de Palavra com a poesia “Dos desvelos na hora do recreio” pela Editora Litteris

Influência – atual: Neruda, Manoel de Barros, Sylvia Plath, Dostoiévski, China Miéville, Emily Dickinson, Žižek, Ana Cruz Cesar, Drummond

Hobbies: artes plásticas, gastronomia, fotografia, cavalos, escrita, leitura, música e boxe.

Influência – raiz: Secos & Molhados, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Mutantes, Jorge Amado, Neil Gaiman, gibis, Luiz Melodia entre outros.
Tem paixão pelo Rock, um bom Blues e Jazz, café e a escrita. Acredita e carrega algumas verdades corriqueiras como amor, caráter, filosofia, poesia, música e fé.

Alguns E-books:
• Imaginação Poética
• As Tantas Portas
• Por Onde Andei?
• Nos Varais
• Colherada Nonsense de Poesias
• Fragmentos – Poemas à Flor da Pele
• Mil Poemas para Gonçalves Dias
• Mil Poemas para Vinícius de Moraes
• Entretons – 8° aniversário Poemas à Flor da Pele
• Sicrano Barbosa
• Beltrano dos Santos
• Puro Osso – duzentos escritos de paixão (2015)
• Quem sou? (2015)
• A Luz e o Diamante (2015)

Algumas Antologias:
• Revista de Poesias 1 – Multifoco
• Brava Gente Brasileira – Pague Menos
• Amor do Tamanho do Brasil – Pague Menos
• Quem Acredita Cresce – Pague Menos
• Vozes da Alma – Mar de Letras
• Amor em prosa e versos – Celeiro
• Eldorado – Celeiro
• Controversos - Sapere
• Poetas da Confraria – Sapere
• Café com Verso – Delicatta
• Café com Verso II – Futurama
• Café com Verso III – Delicatta
• Café com Verso IV – Delicatta
• Reflexões para Bem Viver - Delicatta
• Mulheres Fascinantes – Delicatta
• Mulheres Fascinantes II – Delicatta
• Mulheres Fascinantes III – Delicatta
• Amor, Sexo e Sedução – Delicatta
• Ant. Delicatta IX – Delicatta
• Poesia em Movimento - Delicatta
• Confissões - Darda
• Pétalas – Darda
• Inspirações – Darda
• Poesia Concreta Brasileira – Darda
• Poemas 10 – Darda
• Versos de outono – Mar de Letras
• Versos de verão – Mar de Letras
• Mil Poemas para Gonçalves Dias (Livro)
• Mil Poemas a Vinícius de Moraes (Poetas Del Mundo)
• Bar do Escritor Tomo 4 – Teixeira
• Bar do Escritor 5 – (Quinta Barnasiana)
• 16a Antologia Postal Clube - Araci Barreto
• Poesias Escolhidas Vol. II - O Melhor de Mim
• Poetize 2014 (Concurso Nacional Novos Poetas) – Vivara
• Diário do Escritor 2015 – Litteris
• O Melhor de Poesias Encantadas – Legis Summa
• Poesias Encantadas VIII – Legis Summa
• Poesias Encantadas IX – Becalete
• Poesias Encantadas X – Becalete
• Talento Poético 2015 – Legis Summa
• Talento Poético 2016 – Becalete
• Projeto Literário Beco dos Poetas 2015 – Livro: Meu Oásis
• Projeto Literário Beco dos Poetas 2015 – Livro A Lua sobre nós
• Apanhador de Sonhos – Beco dos Poetas
• Mapa da Poesia Vol.1 – Beco dos Poetas
• Projeto Literário CXVII – Beco dos Poetas
• Enamorados – Beco dos Poetas
• Namastê – Beco dos Poetas
• 100ª Antologia Beco – Beco dos Poetas
• 1ª Ant. AVEC – Clube de Autores
• 2ª Ant. AVEC – Clube de Autores
• 3ª Ant. AVEC – Clube de Autores
• 4ª Ant. AVEC – Clube de Autores
• 5ª Ant. AVEC – Clube de Autores
• Ant. AVEC (Polinização Poética) – Clube de Autores
• Ant. AVEC (Algazarra Poética) – Clube de Autores
• Poemas ao Léu (AVEC) – Clube de Autores
• Empreendedores Poéticos (AVEC) – Clube de Autores
• 1ª Coletânea de Poemas – ALUBRA – Clube de Autores
• 1ª Coletânea de Contos – ALUBRA
• Inspiração em Verso – Futurama
• Inspiração em Verso Vol. II – Futurama
• Botões Abrindo-se em Flores – Futurama
• Emoções Poéticas – Futurama
• Emoções Poéticas II – Futurama
• Emoções Poéticas III – Futurama
• Elos Literários - Somar
• Elos Literários II - Somar
• Elos Literários III – Somar
• Elos Literários IV – Somar 
• Elos Literários VI – Somar  
• Elos Literários VII – Somar  
• Poemas à Flor da Pele 7 – Somar
• Poemas à Flor da Pele 8 – Somar
• Poemas à Flor da Pele 9 – Somar
• Poemas à Flor da Pele 10 – Somar
• Por um Mundo Melhor – Somar
• Brasil Poesia Hoje – OPB
• Escrever é uma Alegria – Alternativa
• Palavras Abraçadas – Scortecci
• Pablo Neruda e Amigos – Literarte
• Literarte Celebra o Ceará – Literarte
• Cantos do Brasil – Poesia Regional
• Imortais – Alternativa
• Tulipas Negras - Darda
• Talento Poético 2017 - Becalete
• Meus Contos - Becalete
• Scortecci 35 Anos - Scortecci
• Amo-te - Darda
• PoeMar - Darda
• Del’Secchi vol. XXVII - Del Secchi
• Luz - Celeiro
• Sarau Beco e Convidados - Beco dos Poetas
• Projeto Literário XCVII – Beco dos Poetas
• Projeto CriticArtes – Biblio
• Literatura Sentimentos & Razões Vol. II – Alternativa
• Meus Poemas II - Beco dos Poetas
• Meus Poemas III - Beco dos Poetas
• Meus Poemas IV - Beco dos Poetas
• Meus Poemas VI - Beco dos Poetas
• Meus Poemas VII - Beco dos Poetas
• Sentimentos e Razões II – Alternativa
• 1ª Antologia da Academia Mineira de Belas Artes
• Saudade & Poesia – Darda
• Amor & Poesia – Darda
• Gotas Poéticas – Darda
• Mundo das Poesias – Versejar
• As mais lindas poesias de Amor – Versejar
• Haikais – Becalete
• Ao intento do vento – AMBA – Mágico de Oz
• Litteris Catálogo
• Movimento Nacional Elos Literários
• Prêmio Litteris – Litteris
• Agenda Litteris 2018 – Litteris
• Fotoesia Mineira – Darda
• Coletânea Internacional Inspiração – Gaya
• Antologia Doce Poesia Doce
• Antologia Sentimentos e razão Vol. III - Alternativa
• Imortais II
• O Livro dos sentimentos
• Inspiração em Verso Vol IV - Futurama
• Talento Poético - Becalete
... entre outras ... 

O ser 2000




Coloco nosso “amor” ente aspas
Para que em cada dia que nasça
Possa ter uma definição diferente. 

Sei o sentido da vida! 
Mas pego caminhos errados só para me divertir.

O Ser 2000

Nasceu mais uma bomba relógio
O rebento prodígio atual feito de negação
Pólvora circula nas veias desse ser biológico
Pronta entrega de emoção

Expondo tudo e todo sentimento
A todo momento, a todo lamento
O torno apertando seu cérebro
Célebre pessoa de mãos dadas com seu sofrimento

Escorre por todos os seus dedos
Essa animação que outrora desanimada
Do nada mais uma semente germina
Mas que acaba por dar em nada

Acabou o sonho e com ele vem o pesadelo
Ecoam no céu gritos de infelicidade
A normalidade é mera conjectura
O caos é pura formalidade

Hoje é um dia comum
Defecam em um povo pobre uma bomba
Um Deus qualquer para causar discórdia
Um outro para o próximo afronta.

O Ser 2000 (Parte 2)

Estou aqui e pronto
Estupefato com o fato
É assim a bola poluída
Me largaram nessa ralo.

Nasci para fazer volume
Excesso de contingente
Ta lotado de estrume no mundo
Pensando e fingindo ser gente.

E a camada de ozônio?
E a massiva perda do hormônio?
Tudo enferrujado e imundo
Onde se compram os neurônios?

Um botão para acabar com isso
Urânio solto no ar
Um sorriso, um compromisso
Flatulência da bomba H

Acabar de vez com essa bola
Jogar fora todo esse lixo
Matrimônio do errado com a escória
Terra de gente virando bicho

André Anlub®

16 de dezembro de 2018

Rabisco sem nome


Rabisco sem nome

Conforme a idade avança,
A trama da peneira vai ficando menor. 
Saímos do irracional e do voo de Ícaro
E adotamos o uso de mais lógica e pés no chão. 

Amar é lindo, sem dúvida,
E colore os dias ter amor para viver...
Mas há de se ser mais zeloso com si próprio
Pois não há mais tempo a perder.

Dança a medusa, por dentro dos oceanos,
Com sua beleza insinuante e perigosa.
Num viver obtuso, segue solitária e misteriosa.

Vai meu conforto no contorno de uma folia,
Que abraço com meus escritos, dia após dia.
É tudo, senão a realidade que não aceita mais sobejos.

Descobri-me, podei-me, me conheci e me desejo...
E em todos os sentidos perdi peso.

Um conselho é um conselho,
Mas às vezes soa como um berro...
Que lustra fatos passados e que nos distrai de atos recentes – vácuo.

Enfim, cai-se na armadilha de passar verniz na parte de baixo do taco...
Então se cria uma alva bola de neve,
De nuvem,
De névoa, 
De nervos e de erro.

Não há razão,
Mas há sonho perambulando a memória recente.
É bom,
Pois o ritmo da vida quer e requer distração.

Olho-me com gosto no espelho
E vejo que a cicatriz da testa ficou mais evidente...
Sinto que poderia até sentir-me um demente,
Mas como me conheço e é de lince minha visão,
Permito-me criticar-me,
Dar-me, ou não, razão.

Colocaram mudas já crescidas de Léia rubra,
Na varanda da imensa casa verde à frente.
O cão, o Tony, um labrador caramelo,
Passeia de um lado ao outro contente.

A vida segue, e eu sigo nela,
Sou sentinela dos meus feitos.
Costuro a mão meus farrapos,
Coloco tinta na aquarela. 

André Anlub


14 de dezembro de 2018

A escolha


A escolha

Milhões de besouros deslumbrados aos brados,
Nutridos e alienados;
Som hipnotizante, atemporal e famigerado.
Fotos estampadas em revistas,
Jornais e memórias,
Fazem da nossa história um pouco mais abençoada.

Mas tudo muda ao toque do botão...
Muda ou fala na opção escolhida,
Rompe-se a bolha e abre-se o inventário...
Por cada um, por cada muitos...

Não quero mais besouros pela sala,
Quero ouvir pedras rolando descendo o calvário.

André Anlub®

Corsário sem rumo



Corsário sem rumo

No seu sorriso mais doce
Dá-me o sonhar acordado
Nau agridoce ancorada
No porto seguro de um réu.

O cerne mais íntimo partilhado
Como alado cavalo ao vento
Coice pra longe o tormento
Traz na crina o loiro do mel.

Mil flores a pulsar na razão
Vil dor e jamais compunção
Cem cores permeiam na libido 
Sem rumo nem rum no tonel.

Pirata na dádiva do amor
Com a bússola do autêntico anseio
Nem proa, nem popa, nem meio
Voando em direção ao seu céu.

Andre Anlub

Enxugando os Prantos (parte II)



Enxugando os Prantos (parte II)

Os homens levaram a melhor, restauraram sem piedade os próprios corações...
As nuvens, no gritante azul piscina do céu, ficaram devidamente alinhadas.

Aqui, ali, todos esqueceram que previram a tempestade que jamais se formou;
Vestes novas, bebidas aos litros e litros, frutas raras e frescas abocanhadas...
E nas madrugadas uma surreal lua fluorescente.

Como plano de fundo: 
Casais e seus calorosos corpos colados, sorrisos aos montes e seus extensos beijos;

No plano mais à frente:
Crianças corriam felizes, brincavam com brinquedos de madeira e não se fantasiavam de adultos... e não aconteceu o absurdo das águas se tornarem doces e estragarem os dentes.

Aqui, ali, a mais completada ordem;
Muros e rostos pintados com coloridos belos, sem o grafite nervoso da política e o esboço de um papel impiedoso.

Em breve os cárceres seriam demolidos, pois jamais tiveram serventia...
Museus de coisas que não existiram... expostos à revelia.
A luta por tudo e a luta por nada, nessa mesma madrugada de lua brilhante.

Enfim, todos na espera da alvorada,
Ainda mais o amor...
O sol nascerá irradiador, e de fato de um parto;
O cordão umbilical nos dará a chance de alcança-lo de fato... 
Tudo no imaginário – possível – no imaginário.

André Anlub®

Morrem as abobrinhas



Morrem as abobrinhas

Venha, chegue mais perto,
Quero sentir seu hálito delicado e forte. Sopro de amor.
Agora chegue ainda mais perto e cole seu nariz no meu.

Quero entrar nos seus olhos, no mar infinito
E no universo negro e mágico onde tento ver o meu rosto.
Digo em alto e bom som como é bom.
Quero sempre fazer parte dessa história. É salutar.
Mas periga ser um vício.

É no início, na essência, onde bulo e reviro a memória.
Vejo que nessa guerra vale a pena lutar.

Ninguém vai nos dizer o que devemos fazer,
Nunca mais - não, não!
Com o certo ou o errado deles. Dos ralos, dos reles...
Limpamos o chão.

Acabaram-se as abobrinhas nas nossas mentes.
Nem se falarem hipoteticamente
Só verei as bocas mexendo. Sem som.

Agora há o costume de seguir o próprio caminho,
Escolher as pontes e portas.
Ficar frente a frente com o vendaval,
Sem o aval alheio, sem olheiro,
Sem frase feita e sorriso banal.

André Anlub

13 de dezembro de 2018

Esgrimas



Esgrimas

Há pontiaguda palavra que em parte perfura e penetra,
Amor não correspondido, angústia crua de outrora.
Florete de fogo, cremação de uma alma antiga no agora.
Peso e preso são pesadelos; sigilo interno é grito que alerta.

Novamente foco sua boca, dessa vez pintada,
Doutrinando-me na rotina e na retina, fazendo-me nada.
Amplifico o amor, assim – de gosto - me ecoarei na salvação.
Toda ação volta, abafa os medos, nada e tudo são em vão.

Explode, explode-me; corro e corroí-me feito uma coriza.
Ácido, assediado e assíduo assim sou seu então.
Você e eu e lume e breu e o sol e a lua nos abriga
Faz-me antiga cantiga, ciranda com fogueira e paixão.

Fujo, finjo desejo, chego... Luz se mostra colorida...
Choro feito criança; rio ouvindo besteiras,
Descendo pelas pedras com limo, entre margens floridas,
Molhando as roupas quase limpas das lavadeiras.

André Anlub

12 de dezembro de 2018

Aqui dentro




Aqui dentro

Há um amor
Que trabalha arduamente
Por tudo e todos
Por dias e anos
E até no sem fim.
Existe o rugido 
De uma fera risonha
Que toca e cura, 
Enxerga e expurga
A semente obscura.
Há a melancolia 
De cartas queimadas
Amores deixados 
Em tempos partidos.
Há foto nos porta-retratos
Sempre alteradas
Do preto e branco
Ao colorido sem brilho.
O ontem no calendário
Transtornado e aflito
Por fazerem dele
Um amanhã vazio.
Há boatos de sorrisos
Também falos umbigos
De mentes mecânicas
E corpos esguios.
Na uva, na ameixa, na seda
Na beleza completa
Da mão que acaricia
Um rosto pelas manhãs.
Sem esquecer-se do elemento
Esticando as curvas
Em linha reta de traço
Rompendo dimensões
No ingênuo abraço.
Tem limão e tem dente de alho
E o pagão reservou seu lugar
Para o paladar em sacrifício.
Agora sai em desafio
Correndo no meio fio
E folhas deixadas voando
Dos livros de Ana Cristina
De Sylvia e companhia
Para outros olhos no cio.

(Inspirado no escrito “lá fora” de Ana Cristina Cesar)
André Anlub®

9 de dezembro de 2018

Cordão umbilical


Eu olhando para a futura capa do meu mais novo livro.

Cordão umbilical

Sinto-me próspero quando não sou tapeado
E a inspiração, por fim, deixa minha mente.
Ela não é indigente, tampouco empregada,
É minha filha e amada,
Meu sentimento mapeado
Que foge do meu masculino ventre.

Mas a mesma não quer viver de vaia
Ou aplauso desacerbado.
Não quer ficar arquivada
Em uma gaveta empoeirada
Ou no raio que o parta.

Ela quer ser mais um elo da corrente
Ir longe, logo e ir pra frente,
Criar um leal - legal - legado,
Ser um dos trezentos de Esparta.

Ela quer viver pequena ou colossal,
Onde habita a multidão e a solidão.
Ir ao limite que estica a emoção
E o meu cordão umbilical.

André Anlub

Biografia quase completa:

Escritor, autor de sete livros em papel: Poeteideser de 2009 (edição do autor), em 2010 o e-book Imaginação Poética, em 2014 a trilogia...