Despedida parte II


Despedida parte II

Dia cheio, dia quente, dia rente
Muita gente na frieza em Paris...
Fanatismo, “marquetismo”, dedo em riste;
Bala – vala – boletim – “baletum” – infeliz.

É cá e lá
É diz que não diz
É borogodó, balangadã
É melhor inquietar o tantan.

Chegou de repente à esperança
Trem bala do tempo,
O sol belo na varanda
O cedro puro e o verniz.

O coração faz seus cálculos,
No abracadabra das horas;
Lubrifiquei minhas dobras
Ensopei minhas válvulas.

Beijos soltos na terra, céu e mar,
Afogando bem no fundo as intolerâncias;
Zé Lideraesperança e João Deixaestar...
Adotei mais duas nobres crianças.

André Anlub®
(7/1/15)


Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer