Despedida parte IV



Despedida parte IV

O mundo canta ao toque da bateria;
Entra o ritmo em arritmia,
Então levanto e danço...
Agora é “Mercy” de Dave Mathews,
Os pés se agitam e a mão trabalha no bloquinho:
Tinta, frase, crase, pinta...
É perturbadora a calmaria
Você quer que ela ria, talvez chore;
Você quer que ela implore ou obrigue...
Mas que algo seja feito.
(mesmo que de fininho)

“Prefiro Toddy ao tédio”
É punk, só que (infelizmente) não;
É a tal perseguição (stalker) do silêncio,
Que vem, silencia – vai, silencia...
Lá ao longe: avião.

O mundo se cala ao toque do botão,
Fones de ouvido e ouvidos descansam.
A caneta freneticamente eletrizada,
O papel é namorado, e a amante é “inspiração”.
A caneta é “bi”...
É tri, é tetra,
É triatleta...

Ligo “Mercy” de novo (misericórdia),
Dave é unanimidade...
A música me lembra “merci”,
Remete-me a Paris
E todo o mal que houve e ainda há...
Digo: excusez-moi...
Em nome da humanidade.

André Anlub®
(8/1/14)

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer