ROESIAS

Juntei uma estrela do chão
e o chão veio junto,
porque ela não vivia sem ele.

..........................

Um sorriso de domingo
numa terça-feira qualquer
que não é uma qualquer terça-feira.

..........................

O que eu puder te dizer que estou vendo
e o outro lado,
quando também puder.

..........................

Quando as águas se encontram em cruz
e seguem adiante,
mesmo em cruz.

..........................

As águas se encontraram em cruz.
De longe ninguém via.
De perto também não.

.........................

O meu caminho de areia e água
para a imensidão
do meu caminho de sol.

.........................

Tudo que há
 na vontade de tudo
e mais o que voa. 

.........................

Vou te falar de destino
apenas quando não mais
me contares chegadas.

.........................

Quando a luz brinca
de ter o que sempre teve,
mas está do outro lado.

..........................

Ainda será muitas vezes
o que nenhuma vez
consegue ser a primeira.


(Rogério Camargo) 

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI