Miúda, Van Gogh e Matisse

Miúda, Van Gogh e Matisse (2008)

Meus cães são meus amores
Senhores, donos da situação
Não guardam rancores
Nunca me deixam na mão.

Vivem com a língua pra fora
Felizes, mendigando carinho...
Brincar? - Só se for agora...
Odeiam ficar sozinhos.

A Miúda peguei na estrada
Estava molhada e com frio
Com certeza foi abandonada
Por algum individuo sombrio.

Van Gogh adotei pelo GAPA
Grupo de Assistência e Proteção Animal
Eles cuidam de “meninos” abandonados
Fazem um trabalho super legal.

Matisse é o rebento dos dois
Cresceu parrudo e saudável
Cão lindo e bondoso
E tem um humor instável

Assim sigo com os meus filhotes
Dando carinho, ração e amor...
Sou uma pessoa de extrema sorte
Por deles receber todo esse calor.

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Um Eu qualquer

Parte XI