Sonhador


Sonhador

Ressurreição dos grandes,
dos poderosos deuses,
que repousavam e sonhavam,
apenas sonhavam.

Ao longe se ouve os gritos,
preparativos da paz.
Entram pelos tímpanos
os novos tempos dos templos
e as novas terras, moças naves.

Há de surgir o maior dos maiores,
fim das catástrofes,
princípio dos versos e ventos...
Bons.

Ouçam as trombetas!

Mas é assim, nesse momento,
onde a festa tem brilho,
tem som, tem ritmo,
onde pipocam as estrelas
abrindo passagem aos cometas
que trarão a verdade.

Seriam cometas?

E ao cair das pedras e dos astros,
ilustrando o céu
em frenéticos rabiscos;
vemos uma nova era
atmosfera de segurança, 
benevolência e compreensão.

Como num desejo e sonho,
ao chão o cajado,
ao sol o rebanho,
na utopia e visão.

André Anlub®
(6/11/13)

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer