Sentimentos Confusos


Sentimentos Confusos 

Caminhando no parque pensei em você
Entre a neve que cai e o vento frio que bate;
Na mente momentos que nunca vou esquecer
Pensava tão alto quanto um cão que late.

Seria o ódio e a saudade ou o amor e a vaidade?
A confusão era tamanha que nem sei a verdade
Colocou fogo nas cinzas que pensava tê-las extintas
Como pegar um Kandinsky e borrá-lo de tinta.

Lembro-me das crianças que não chegamos a ter
E nos dias frios um ao outro aquecer;
Das falácias que saiam da minha ébria boca,
Mesmo assim você sorria e se fingia de louca.

Mas chegando em casa e enfim aquecido
Descobri que a saudade é maior que a loucura
E saber que apesar disso, sou jamais esquecido
Me esperava deitada completamente nua.

André Anlub®

Postagens mais visitadas deste blog

A chuva bem-vinda

Tempo de recomeço

Um Eu qualquer